Al-Nassr
Futebol Outras ligas

Em entrevista, diretor brasileiro do Al-Nassr exalta CR7 na Liga Saudita: “Benzema não fez 50 gols”

Em entrevista concedida ao portal Globo Esporte.com, o brasileiro Marcelo Salazar, diretor de futebol do Al-Nassr, faz um balanço sobre a chegada do português Cristiano Ronaldo ao clube e como isso valorizou o futebol saudita:

“Aos 39 anos, ele (CR7) fez 54 gols no ano passado. O pessoal fala “Ah, foi na Liga Saudita“, mas o Benzema esteve aqui e não fez 50 gols. Outros atacantes estiveram aqui e não fizeram 50 gols. Eu, sinceramente, não creio que jogar a liga saudita prejudica um jogador a nível de chegar na seleção” — disse o dirigente brasileiro.

Na entrevista, os elogios a CR7 prosseguem, Salazar destaca o profissionalismo e a mentalidade que CR7 entrega à equipe. Questionado sobre o clube ter contratado o “robozão” em má fase no Arsenal, o brasileiro foi enfático em defendê-lo:

“Só vou fazer uma pontuação aqui, que o período “em baixa” no United… Agora a gente vê o Cristiano e vê onde está o United… Não era bem ele que estava em baixa, só para deixar isso bem claro” — salientou Marcelo Salazar, antes de completar.

“A gente, sabendo dessa insatisfação dele (no United), teve aberta uma janela de oportunidade que talvez não se abrisse nunca mais. Então foi United, Copa do Mundo e nesse período foi identificado pelo clube essa oportunidade, esse sonho. E depois vimos que era possível, que existia uma certa receptividade dele em relação a isso. A coisa foi caminhando e terminou acontecendo”.

Após o efeito cascata que também levou Neymar, Benzema, Firmino e tantos outros, ele não acredita em uma nova debandada da europa para a próxima temporada:

“Quem veio no ano passado veio com contrato de três anos. No nosso clube, todos têm contrato até 2026. Nos outros clubes que foram os responsáveis pelas grandes contratações também. Eu acredito que teremos duas ou três grandes contratações nesse verão, mas não vai ser como o ano passado. E também existe a possibilidade de outros clubes receberem investimento. E esses clubes, sim, irem no mercado atrás de mais nomes”.

Fazendo um retrospecto sobre sua passagem na Arábia Saudita, que iniciou em 2018, o brasileiro afirma que não imaginava ver um crescimento tão grande no esporte local, mas valoriza os frutos já vistos do investimento.

“Na temporada 21/22, a gente nem sonhava que o Cristiano ia vir para cá. E muito menos que depois da chegada dele, pensávamos que a gente ia presenciar o que a gente viu no mês de junho e julho de 2023, com todas essas negociações. Meus amigos do Brasil falam: “O aquele camisa 29, o Ghareeb, o baixinho, joga muita bola”… O campeonato saudita se tornando um dos mais seguidos no mundo. Coisas impensáveis um ano atrás”.

Você acompanha a entrevista completa aqui.

(Foto: Reprodução)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *