Botafogo
Futebol Libertadores

Em busca da Glória Eterna! Botafogo vence o Universitario fora de casa e garante vaga na próxima fase da Libertadores

Na noite de quinta-feira (16), o Botafogo viajou até o Peru para enfrentar o Universitário no Estádio Monumental “U”, em um confronto válido pela quinta rodada do Grupo D da Copa Libertadores.

Apesar de não ter sido uma das performances mais brilhantes do ano, o time carioca conquistou a vitória e garantiu sua vaga na próxima fase do torneio continental.

O Universitario iniciou com todo gás, mas se prendeu a cruzamentos e bolas aéreas no primeiro tempo, sem criar chances claras de gol. O Botafogo adotou uma postura cautelosa, aguardando oportunidades de contra-ataque.

No segundo tempo, o jogo permaneceu morno até os 31 minutos, quando o Fogão aproveitou uma falha defensiva e Jeffinho marcou o único gol da partida. Os peruanos tentaram pressionar nos minutos finais, mas não conseguiu superar a defesa sólida do glorioso que garantiu a vitória por 1 a 0 e a vaga nas oitavas de final.

Dentro de campo, Artur Jorge voltou a contar com Eduardo, que estava fora há duas semanas com uma lesão no pé. Era provável que o atacante começasse jogando ao lado de Júnior Santos. Rafael, Marçal, Tiquinho Soares, Pablo e Matheus Nascimento, lesionados, e Óscar Romero e Diego Hernández, afastados, não foram relacionados para o duelo.

 

Primeiro Tempo sonolento

Precisando da vitória para não depender de combinações de resultados, o Universitario começou o primeiro tempo com o ímpeto de um leão enjaulado. Contudo, pecou por insistir nas bolas aéreas, cruzamentos que mais pareciam tentativas desesperadas de chegar ao gol. A defesa do Botafogo, bem postada, parecia um muro intransponível. As melhores oportunidades dos peruanos não surgiram da criação, mas sim de erros esporádicos de Damián. Por duas vezes, o defensor se viu em apuros, porém, com a frieza e a experiência de um veterano, conseguiu corrigir seus próprios deslizes antes que o desastre se consumasse.

Do lado alvinegro, o Fogão optou por uma postura mais cautelosa, quase contemplativa. Recuados, esperavam pelo momento certo para um bote certeiro, como um caçador à espreita. A única chance clara do Fogão foi um lance que certamente será motivo de debate nos programas esportivos.

A melhor chance do jogo no primeiro tempo veio em um contra-ataque rápido, Savarino, veloz e habilidoso, encontrou espaço na linha de fundo e cruzou com precisão para Luiz Henrique. O atacante finalizou, mas a bola desviou no braço de Benedetto, que se encontrava quase sobre a linha do gol. A expectativa tomou conta do estádio. O árbitro aguardou a verificação do VAR, mas, surpreendentemente, não foi chamado para revisar o lance. A decisão, aparentemente, foi baseada na interpretação de que o braço de Benedetto era de apoio, um argumento sempre sujeito a questionamentos.

 

Jeffinho marca no segundo tempo e garante vitória para o Botafogo

O segundo tempo começou com o Universitario demonstrando a mesma determinação e senso de urgência que marcou a primeira etapa. Logo de cara, Portocarrero, partiu para cima de Damián, em um duelo que parecia pessoal. Com um drible ágil, venceu o marcador e cruzou para a segunda trave. Polo, sempre atento, pegou a sobra e chutou, mas foi travado na hora exata, frustrando a torcida que já se preparava para comemorar.

O Botafogo, por sua vez, mostrou que não estava ali apenas para se defender. Em um raro momento de liberdade, Hugo dominou a bola no meio de campo, olhou para frente e percebeu a movimentação de Luiz Henrique. O cruzamento foi perfeito, encontrando o camisa 7 em posição privilegiada. Luiz  subiu alto e testou firme, mas a bola passou raspando o travessão, arrancando suspiros e aplausos tímidos da torcida alvinegra.

O susto maior, porém, veio pouco depois, em um lance que quase mudou o rumo do jogo. Polo, com liberdade pela direita, avançou sem ser incomodado e fez um cruzamento na medida para Portocarrero. A cabeçada foi mal calibrada, mas o destino tinha outros planos. A bola desviou em Luiz Henrique, que vinha tentando ajudar na defesa, e tomou um rumo inesperado, quase enganando o goleiro e entrando no gol. A torcida prendeu a respiração, e o estádio pareceu parar por um segundo que durou uma eternidade, até que a bola saísse pela linha de fundo, sem maiores danos.

O Universitario manteve sua estratégia previsível de abusar das bolas aéreas. Cruzamentos incessantes para a área adversária se tornaram a tônica do time da casa, mas sem criatividade ou variação tática, as chances reais de gol foram praticamente inexistentes. A defesa do Fogão mesmo sem ser brilhante, teve pouco trabalho para neutralizar essas investidas repetitivas.

Por outro lado, o Glorioso  mostrou uma postura ainda mais passiva. Parecendo satisfeito com o empate, o time se fechou em uma defesa sólida, mas sem ambição ofensiva. As raras vezes em que conseguiu avançar para o campo adversário não resultaram em nenhuma criação significativa de jogadas. A falta de criatividade e iniciativa era evidente, com o time parecendo contente em segurar o resultado.

Com um segundo tempo morno e arrastado, o jogo entre Universitario e Botafogo parecia caminhar para um empate. Mas, aos 31 minutos da etapa complementar, a monotonia foi quebrada. Em um raro momento de falha defensiva do Universitario, Savarino aproveitou um erro crucial da zaga para recuperar a bola. Com inteligência e rapidez, fez um passe de primeira para Jeffinho, que avançou livre, invadiu a área e, com tranquilidade, tocou na saída do goleiro Britos.

Este gol não apenas deu uma nova dinâmica ao jogo, mas também colocou o Botafogo em uma posição vantajosa, encaminhando a classificação para as oitavas de final. A equipe, que até então parecia contente com o empate, agora tinha um objetivo claro e palpável à sua frente. Na sequência, o Universitario, sentindo a pressão de precisar ao menos empatar, ensaiou uma reação nos minutos finais.

A equipe da casa aumentou o ritmo e tentou sufocar o Fogão, avançando com mais homens ao ataque e tentando explorar as laterais com cruzamentos e bolas alçadas na área. Apesar do esforço e da determinação dos donos da casa em buscar o empate, faltou precisão e criatividade nas jogadas finais. A defesa do Botafogo, bem postada, conseguiu neutralizar as investidas do adversário, bloqueando cruzamentos e garantindo assim a vitória e a classificação para a próxima fase

F.T.: Universitario 0 x 1 Botafogo.

 

Colocação e Próximos Compromissos

Com essa vitória, o Botafogo assegura seu lugar na próxima fase da competição continental e se prepara para disputar a liderança do Grupo D com o Junior Barranquilla. O time colombiano terá a vantagem de jogar em casa, com o empate a seu favor.

Na última rodada, o Alvinegro enfrentará os colombianos em seu território, enquanto o Universitario viajará até Quito para encarar a LDU. Ambas as partidas estão marcadas para o dia 28 de maio, uma terça-feira, com início às 19h.

(Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *