Bundesliga protestos
Futebol Bundesliga

Bundesliga desiste de investimento estrangeiro após protestos

A Deutsche Fussball Liga anunciou nesta quarta-feira (21) que abandonou a ideia de vender diretos comerciais nas duas primeiras divisões da Bundesliga.

A liga alemã de futebol, que administra a Bundesliga, abandonou os planos de vender uma participação em suas receitas de direitos de mídia a um investidor externo, após meses de protestos cada vez maiores das torcidas.

O investidor de capital privado CVC Capital Partners foi o único comprador potencial remanescente de uma fatia de 20 anos das receitas de transmissão e patrocínio em troca de um pagamento adiantado.

Protestos na Bundesliga estavam ficando cada vez maiores

Os protestos de torcedores que jogaram objetos nos gramados causaram longas paralisações nos jogos durante semanas, desde que os clubes das duas principais divisões masculinas votaram, em dezembro, para prosseguir com as negociações sobre o plano de investimento.

Os torcedores chegaram a utilizar carros e aviões com controle remoto para interromper os jogos e, em um caso, prenderam cadeados de bicicleta na trave. O caso mais chamativo consistiu no protesto que atrasou em mais de 10 minutos o início de Bayern Leverkusen 3-0 Bayern de Munique, certamente o jogo de maior audiência da Bundesliga na temporada 2023/24.

Aspas de Hans-Joachim Watzke, porta-voz do comitê executivo da DFL

“Tendo em vista os desenvolvimentos atuais, uma continuação bem-sucedida do processo não parece mais possível. Mesmo que haja uma grande maioria a favor da necessidade empresarial da parceria estratégica, o futebol profissional alemão está no meio de um teste crucial, que está a causar grandes disputas não só dentro da associação da liga entre os clubes, mas em alguns casos também dentro dos clubes entre profissionais, treinadores, dirigentes de clubes, órgãos de supervisão, associações de membros e comunidades de torcedores, que comprometem cada vez mais as operações dos jogos, os calendários específicos dos jogos e, portanto, a integridade da competição.”

Imagem: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *