Cássio
Futebol Brasileirão

Cássio se despede do Corinthians e esclarece motivos para saída: “Saio com sentimento de dever cumprido”

Na tarde do último sábado, Cássio se despediu do Corinthians em coletiva de imprensa no CT Joaquim Grava. O goleiro que teria contrato com o Timão até o final desse ano, rescindiu seu vínculo com a equipe paulista de forma amigável, e já está em pré-acordo com o Cruzeiro, para defender o time mineiro a partir de julho. Na entrevista de ontem, em que oficializou sua saída, Cássio explicou os motivos que o levaram a decidir não continuar no clube, após 12 anos e uma histórica jornada de títulos e a marca de 712 jogos.

Após receber as homenagens da direção e da torcida, Cássio concedeu uma sonora de despedida aos veículos de imprensa presentes no centro de treinamento alvinegro e foi questionado sobre seu legado na meta do Corinthians, e o futuro distante do clube, demonstrando interesse de continuar atuando nos próximos anos. O goleiro também respondeu sobre estar saindo num momento delicado de sua vida pessoal, após desabafar ao vivo sobre a responsabilidade que vinha carregando no período de derrotas da equipe pelo Brasileirão e pela Copa Sul-Americana.

 

Algumas coisas vocês sabem e outras não, mas saio com sentimento de dever cumprido, estive com o Corinthians em todos os momentos. O Corinthians está muito bem servido de goleiros neste momento, então saio tranquilo, estive junto com o time em todos os momentos, são 12 anos de muito trabalho e dedicação, saio em paz, pois fiz de tudo pela instituição e ninguém está acima dela, mas chegou minha hora”.

 Não tenho dúvida de que saio pela porta da frente, não é o que muitos imaginavam, mas não controlamos o futuro. Até brinquei com alguns funcionários, achava que eles iam sair antes. Agora saio em paz, com tranquilidade, olha todo o carinho que recebi, não tive atrito com ninguém, foi tudo conversado”.

Doze anos depois de sua chegada, e mesmo não tendo uma despedida em campo, Cássio afirmou estar saindo pela porta da frente, tendo conversado de forma amigável com todos no Corinthians e até mesmo brincado por estar saindo antes de alguns funcionários com mais tempo de clube.

Honestamente, todas as festas feitas, todas as homenagens, não tenho dúvida que saí pela porta da frente. Jogo de despedida é para quem vai se aposentar, na minha opinião. Não tenho dúvida de que saio pela porta da frente, não é o que muitos imaginavam, mas não controlamos o futuro. Até brinquei com alguns funcionários, achava que eles iam sair antes. Agora saio em paz, com tranquilidade, olha todo o carinho que recebi, não tive atrito com ninguém, foi tudo conversado”.

O que mais Cássio falou em sua despedida do Corinthians?

Além de prestar esclarecimentos sobre a rescisão de contrato antes do fim da temporada, Cássio também foi perguntado sobre seu substituto, o goleiro Carlos Miguel, que assumiu a titularidade há quase um mês e foi elogiado pelo colega. Cássio afirmou que recebeu propostas de saída do Corinthians no início de 2024, porém, compreendeu que era preciso esperar o momento certo para deixar o Timão. Sem fazer referências ao seu possível destino, o Cruzeiro, o atleta de 36 anos sinalizou que o momento traz uma boa oportunidade na carreira.

O Miguel é um cara de muita qualidade, tem jogado, tem jogado bem e tem muito potencial. Agora depende dele, ele é o titular absoluto, agora é sequência, uma situação nova. Temos uma amizade muito boa, nunca tivemos problema, ele tem uma história de vida de superação, é lindo de falar. Nunca imaginei ficar 12 anos no gol do Corinthians e fiquei, então é difícil falar agora. O Corinthians não precisa ir atrás de goleiro, tem muita gente boa aqui, dois excelentes treinadores de goleiros, eu com certeza construi a minha história por conta desses dois grande profissionais. Desejo muito sucesso a todos ele e o Corinthians está bem servido de goleiro”.

Carlos Miguel assumiu a vaga de Cássio no time titular do Corinthians
Carlos Miguel e Cássio — Foto: Reprodução/Corinthians.

Eu acho que uma série de situações e a gente entende quando nosso ciclo acabou. Você olha para trás, vê o que conquistou, e no começo do ano tinha uma oportunidade de sair. Naquele momento achei que não era a oportunidade de sair. Agora eu acho que é o momento, com uma boa oportunidade da carreira”.

“A pressão não foi motivo para sair, foi coincidência”

Questionado sobre a pressão vinda da torcida e da imprensa diante de suas últimas atuações, o goleiro multicampeão afirmou que viveu algo semelhante há dois anos e continuou exercendo suas atividades normalmente. Um dos únicos remanescentes da série histórica de títulos do Corinthians iniciada em 2012, desde as saídas de Gil e Renato Augusto, e da aposentadoria de Fábio Santos, Cássio demonstrava esgotamento físico e mental em meio ao mar de críticas que sofreu no início desta temporada.

Eu acho que é coincidência, tudo acontece quando tem que acontecer. Já fui ameaçado, e nada é pior que isso, mas em 2022 passei por isso e segui. Quando desabafei após o jogo (contra o Argentinos Juniors), no dia seguinte eu já estava leve. Acho que as coisas aconteceram conforme foram aparecendo. Eu acredito em destino, em outros momentos propostas vieram e me mantive forte aqui”.

O Cássio de 12 anos atrás e o de hoje

Com 712 jogos à frente da meta alvinegra, Cássio deixa o Corinthians detendo uma marca apontada como a segunda maior de atuações no time, estando atrás apenas do lateral-esquerdo Wladimir, com 806. Perguntado sobre o tamanho de sua idolatria pela “Fiel Torcida” e o que falaria para o Cássio de 2012, o goleiro reconheceu que seus companheiros foram muito importantes para tudo o que ele conquistou no Timão e que fez o melhor.

Eu tenho sentido um carinho muito grande do torcedor, por tudo que conquistei, nos jogos, lugares que fomos para jogar, então nós jogadores também temos que ter carinho e respeito com os torcedores. Nunca parei para pensar nisso de tamanho de idolatria, talvez quando eu parar eu pense nisso, agora eu penso no presente, foram 12 anos assim, pensando no presente”.

Quando cheguei tinha muita desconfiança sobre meu potencial e com ajuda dos meus companheiros, sem eles não seria nada, eu consegui. Nos últimos dias tenho refletido sobre minha carreira, não tenho a noção de tudo que consegui aqui no Corinthians, mas você olha para trás e vê, eu fiz meu melhor, me dediquei e saio feliz pelo que construí”.

Cássio
Cássio durante atuação recente pelo Corinthians — Foto: Reprodução/Corinthians.

Em 12 anos, Cássio fez história no Corinthians ao conquistar nove títulos, sendo dois deles marcantes para a sua jornada iniciada no final de 2011, com a camisa 24, e terminada este ano vestindo a camisa 12. O goleiro foi campeão invicto da CONMEBOL Libertadores, e do Mundial de Clubes de 2012, sendo premiado como o melhor jogador do torneio ao não ser vazado em duas partidas disputadas pelo Timão. Além das taças de 2012, Cássio ganhou quatro Paulistas (2013, 2017, 2018 e 2019), dois Brasileiros (2015 e 2017), e uma Recopa Sul-Americana (2013).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *