Ministro pede paralisação do futebol brasileiro à CBF
Futebol Brasileirão

CBF descarta estender Brasileirão mesmo com paralisação

Após determinar a paralisação do Campeonato Brasileiro, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, garantiu que a competição não será estendida além da data prevista, 8 de dezembro. Em entrevista ao ge, Ednaldo destacou a importância de concluir o calendário de 2024 conforme planejado para evitar impactos negativos no ano seguinte, que já está repleto de compromissos.

“Não pensamos em estourar. O objetivo é terminar o calendário em 2024. Se não, impacta ainda mais no calendário de 2025, que já está bastante cheio,” afirmou o presidente da CBF, que se encontra em Bangkok, na Tailândia, participando do Congresso da Fifa.

A decisão de manter o cronograma original vem em meio a um contexto de calendário apertado para os clubes brasileiros. Em 2024, pelo menos três clubes nacionais, Fluminense, Flamengo e Palmeiras, disputarão o Mundial de Clubes da Fifa nos EUA entre junho e julho. Este número pode aumentar para quatro se Grêmio, Botafogo, São Paulo ou Atlético-MG vencerem a Libertadores deste ano.

Rodrigues explicou que a paralisação do Campeonato Brasileiro foi uma decisão tomada em consenso com os clubes da Série A:

“É a democracia. Temos que trabalhar ouvindo todos os clubes, todas as federações estaduais. Agora, neste contexto, a CBF vai fazer uma engenharia criteriosa para que possamos amenizar a sobrecarga de jogos para os clubes,” afirmou o presidente, enfatizando que 15 dos 20 clubes da Série A votaram pela paralisação, enquanto cinco não responderam.

Quanto aos detalhes dessa “engenharia” para ajustar o calendário, Rodrigues admitiu a complexidade da tarefa:

“Vamos fazer tudo o que for possível para não trazer nenhuma consequência maior para os clubes. O objetivo é que tenham rendimento técnico para representar bem nosso país nas competições internacionais,” concluiu.

A CBF e a situação do futebol no Rio Grande do Sul

Assim como todo o estado, que vive a maior tragédia de sua história, o futebol no Rio Grande do Sul está passando por um período complicado, com os dois maiores times do estado perdendo os seus CTs e estádios, alagados pela chuva. O Grêmio já anunciou que vai mandar as suas partidas no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, e treinará em Atibaia. O Juventude vai continuar no estado, enquanto o Inter ainda não anunciou sua sede provisória.

Você pode fazer a sua doação para o Rio Grande do Sul clicando neste link.

(Foto: Kin Saito/CBF)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *