Carlos Miguel, Corinthians
Futebol Brasileirão

Corinthians aguarda pagamento da multa de Carlos Miguel para acelerar chegada de reforços

O Corinthians aguarda nos próximos dias o pagamento da multa de 4 milhões de euros (cerca de R$ 23 milhões) pela transferência de Carlos Miguel para o Nottingham Forest, da Inglaterra. O goleiro viajou na quarta-feira (03) para a Inglaterra, onde passará por exames médicos antes de assinar contrato com o clube inglês. Nos últimos dias o arqueiro resolvia suas últimas pendências para a mudança de país.

O dinheiro da multa rescisória de Carlos Miguel é esperado pelo Timão para dar andamento às negociações em curso para a chegada de reforços, além de um eventual gasto para a contratação de um treinador para o lugar de António Oliveira, demitido na última terça após derrota para o Palmeiras pelo Brasileirão.

O Corinthians espera a chegada de jogadores na abertura da janela de transferências, em 10 de julho. A direção alvinegra definiu os alvos e espera resolver os últimos entraves antes de oficializar os acordos. O primeiro anúncio foi de Hugo Souza, goleiro emprestado pelo Flamengo até o fim do ano.

Saída polêmica do Corinthians

Carlos Miguel, de 25 anos, viveu momentos de reviravolta no Corinthians nesta temporada. Bancado por António Oliveira, virou titular da equipe pouco antes de Cássio optar por fechar com o Cruzeiro. Com boas atuações, o jogador passou a chamar atenção de clubes do exterior e sua multa rescisória de apenas quatro milhões de euros facilitou o acerto com o Nottingham.

O valor da multa, aliás, se transformou em outro motivo de polêmica no Timão. Até 31 de dezembro de 2023, o clube do exterior interessado em contratar Carlos Miguel teria que desembolsar 50 milhões de euros (cerca de R$ 288 milhões), valor estipulado para o rompimento do contrato. Desde o primeiro dia de 2024, a quantia caiu para quatro milhões de euros (cerca de R$ 23 milhões).

Na renovação contratual, feita em janeiro de 2023, o Corinthians ampliou o vínculo do jogador até 31 de dezembro de 2025. A incerteza sobre as chances de poder atuar pelo Alvinegro fizeram com que o empresário Gilmar Veloz impusesse uma condição para renovar o contrato: a diminuição da multa nos últimos dois anos de vínculo.

A ideia era se respaldar em caso de inatividade do goleiro, tendo uma brecha para colocá-lo em outro clube. No entendimento do Corinthians, naquele momento, com Cássio titular e sem qualquer perspectiva de saída, ser contrário a essa exigência não fazia sentido.

Nesta temporada, após assumir em definitivo a titularidade, Carlos Miguel entrou em campo pela última vez com a camisa do Corinthians no clássico contra o São Paulo no dia 16 de julho. Depois disso, o goleiro acabou sendo afastado por alegar problemas físicos e irritar a direção alvinegra. Ao todo, o arqueiro atuou pelo clube entre 2021 e 2024 em 26 jogos.

Carlos Miguel durante discussão em Corinthians e São Paulo
Carlos Miguel fez útimo jogo pelo Corinthians no Dérbi contra o São Paulo — Foto: Ettore Chiereguini/AGIF

Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians