António Oliveira, Internacional x Corinthians
Futebol Brasileirão

Corinthians: António Oliveira fala sobre nova derrota do time e clube discute seu futuro

A nova derrota no Campeonato Brasileiro diante do Internacional tem evidenciado a tremenda dor de cabeça na relação entre Corinthians e António Oliveira desde o início da série de jogos sem vitória no torneio. O Timão foi derrotado pelos gaúchos no Orlando Scarpelli por 1 a 0 em Florianópolis na noite da última quarta-feira (19), e contabilizou sua sexta partida seguida sem triunfos no Brasileirão, estando no Z-4 da Série A.

Na entrevista coletiva após a partida em Santa Catarina, António Oliveira confessou que o Corinthians precisa compreender o cenário atual e se conduzir a uma retomada, porém, ignorou a pressão por mudanças no elenco e na comissão técnica. O comandante alvinegro declarou que só toma as decisões da parte dele, e que era preciso descansar e virar a chave para o jogo seguinte, onde enfrenta o Athletico-PR em Curitiba.

Só controlo o que é minha decisão. E as minhas decisões que tomo enquanto treinador. Área de administração não me compete. Tem que perguntar a outra pessoa. Sei que estou fazendo, sou teimoso para caramba, com reajustes que vamos fazer no mercado ficaremos mais fortes e vamos diminuir o tempo que perdemos em alguns pontos. Agora é descansar e pensar no próximo jogo”.

Além de reconhecer os problemas do time num todo e se esquivar da situação administrativa, António Oliveira avaliou a má fase do Corinthians nos últimos seis jogos pelo Brasileiro e a derrota de ontem para o Inter, que colocou o Timão novamente entre os quatro últimos colocados da Série A. O treinador fez questão de confirmar a atuação negativa de seu elenco em Florianópolis em vários momentos do confronto e a melhora tímida pela qual a equipe passou no segundo tempo.

Foi mais um jogo em que não conseguimos alcançar o objetivo que era ganhar. Foi um primeiro tempo fraco dos dois times, um segundo tempo em que fizemos alguns reajustes no intervalo, mas não foi suficiente para chegarmos ao empate. Agora é descansar e entender, direcionar o caminho, porque temos que voltar rapidamente a conquistar vitórias para levar o clube aonde merece”.

Muitas vezes sento e falo com meus auxiliares, parar o jogo para analisar. Apenas falo com meus auxiliares para entendermos como podemos mudar o jogo. No segundo tempo fizemos alguns reajustes, tivemos ocasiões para fazer o gol, mas nem sempre vamos conseguir jogar bem. Hoje foi um jogo de primeiro tempo fraco até das duas equipes, depois tentamos ir atrás do resultado, mas infelizmente não conseguimos chegar à igualdade”.

internacional corinthians brasileirão
Wesley comemora o gol da vitória colorada sobre o Corinthians em Florianópolis — Foto: Divulgação/SC Internacional

Após mais uma derrota, Corinthians avalia futuro de António Oliveira

Contratado na reta final do Campeonato Paulista logo depois da demissão de Mano Menezes, António Oliveira chegou ao Corinthians em fevereiro, e nos últimos seis jogos pelo Brasileirão, saiu derrotado em cinco e obteve um empate no clássico contra o São Paulo, disputado no domingo, na Neo Química Arena. A sequência negativa levou a direção do clube a debater internamente sobre sua continuidade no comando, visto que no campeonato o alvinegro está na zona de rebaixamento e tem apenas uma vitória após dez jogos disputados nesta temporada.

Desde que assumiu como técnico do Timão, António Oliveira tem 24 jogos, com 12 vitórias, seis empates e seis derrotas. O aproveitamento de 58% é considerado bom, mas, tem como ponto central de discussão sobre a permanência o dia a dia de trabalho do profissional junto ao elenco e a falta de evolução do time, sobretudo nas últimas partidas. Mesmo com a saída de atletas renomados como Cássio e Paulinho e a iminente saída de Carlos Miguel para a Inglaterra, a direção avalia ser possível que o time reúna condições de apresentar um desempenho melhor com o que possui à disposição.

Uma nova troca de treinador neste início de semestre e sexto mês de administração é considerada como mais um revés para a gestão Augusto Melo, que em seu início já precisou trazer António para o lugar de Mano, após uma sequência que culminou na eliminação e quase rebaixamento do Corinthians para a Série A2 do Paulistão. A demissão do ex-técnico custou R$ 13 milhões ao clube, conforme acordo firmado pela gestão passada em Parque São Jorge.

Na época da demissão de Mano Menezes, o Timão chegou a sondar o então treinador do São Bernardo Márcio Zanardi, porém, sob o desconhecimento do regulamento do estadual, que não permitia um profissional dirigir dois clubes numa mesma edição, travou a negociação com o hoje comandante do Goiás. Apesar de minimizar o momento, a pressão sobre o português a partir de agora aumenta, diante da sequência corintiana no Brasileirão, que começa com mais um jogo na Região Sul, e será disputado no próximo final de semana.

Depois de perder para o Internacional em em Floripa, o Corinthians vai rumo à Curitiba, capital do Paraná, para encarar o Athletico na Ligga Arena, em duelo importante para o alvinegro iniciar uma reação no campeonato, onde é o primeiro dentro da zona de rebaixamento com 6 pontos ganhos em dez jogos. Empatado em pontos com Vitória e Grêmio, o alvinegro tem um jogo a mais que os baianos e duas partidas a mais que os gaúchos. O jogo válido pela décima primeira rodada do Brasileiro será no domingo, às 16h (de Brasília).

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians