dallas-mavericks-x-oklahoma-city-thunder
Basquete NBA

Em partida fantástica e com final frenético, Dallas vence OKC e avança para as finais da conferência oeste

Na noite deste sábado (18), o Dallas Mavericks recebeu o Oklahoma City Thunder no American Airlines Center para a disputa do Jogo 6 das semifinais da conferência oeste da NBA. No que foi o melhor jogo da série e um dos mais disputados de toda a pós-temporada, Mavs e Thunder fizeram um duelo frenético e que foi decidido apenas nos instantes finais. Confira a análise e o resumo da partida que resultou na classificação da franquia texana para as finais da Conferência Oeste:

1º quarto

Como já era de se esperar, o início de confronto foi intenso. Logo de cara, ambas as defesas já mostraram trabalho – Dallas tentando fechar o perímetro para forçar OKC a atacar o garrafão; e o Thunder com uma marcação dupla em cima de Doncic desde o primeiro segundo de partida. E na etapa inicial do primeiro período, foi a estratégia de Oklahoma que deu mais frutos. Com a dobra em cima do camisa 77 dos Mavs, o time de Mike Daigneault forçou turnovers e conseguiu pontuar com frequência em jogadas de transição, chegando abrir 10 pontos de vantagem (16 – 6).

Porém, a equipe de Jason Kidd rapidamente entendeu que era necessário diminuir o ritmo e trabalhar mais a bola no campo de ataque. OKC engatou uma “cold-streak” e Dallas conseguiu finalmente engatar ofensivamente com Luka Doncic mais uma vez brilhando e convertendo arremessos inacreditáveis. O time da casa conseguiu ter ainda mais vantagem em quadra após o “calcanhar de Aquiles” de Oklahoma entrar em quadra. Sim, estamos falando do desastroso Josh Giddey.

Nulo nas jogadas de transição ofensiva e terrível defensivamente, o australiano permitiu que Dallas conseguisse parar os avanços de OKC com frequência e se tornou o principal alvo de mismatch na defesa. Porém, a qualidade do restante do elenco do Thunder ainda se sobressaiu. Shai colocou a bola debaixo do braço e comandou a reação de sua equipe com uma verdadeira aula do mid-range. Ainda “baleado” por conta do incômodo em seu joelho, Luka foi para o banco e Oklahoma conseguiu retormar o controle da partida.

Quando o esloveno voltou para quadra junto à segunda unidade dos Mavs, OKC novamente conseguiu levantar vantagem, fazendo marcação dupla no camisa 77 e forçando o restante do elenco a tentar lances individuais. A situação ao fim do quarto ficou ainda melhor para o time visitante após Jalen Williams ter convertido uma cesta de três fantástica no estouro do cronômetro, praticamente do meio da quadra, colocando 7 pontos de diferença no placar (23 – 30).

2º quarto

No início do segundo quarto, a arbitragem foi a protagonista do confronto. Luka levou uma técnica, PJ chegou à sua terceira falta e Chet Holmgren também cometeu três violações por OKC. As marcações frustaram Dallas e Oklahoma conseguiu ter vantagem no início do período, se aproveitando bastante de rebotes ofensivos. Com Shai liderando o ataque, a equipe visitante conseguiu dominar o confronto, mas um toco fantástico de Daniel Gafford em um arremesso de três de Lu Dort mudou o cenário.

Celebrando de maneira inflamada, o pivô chamou o torcedor para quadra e os Mavericks conseguiram uma injeção de energia. Primeiro, Kyrie acabou com a sequência negativa da equipe com um ponto em transição fantástico, fintando a marcação e convertendo a bandeja mesmo contestado. Na sequência, Luka também anotou mais dois pontos. O ataque de Oklahoma parou de funcionar e a equipe mandante chegou a virar o placar. No entanto, o time de Jason Kidd não conseguiu aproveitar a ótima reação – Dallas enfiou a faca, mas não girou.

Consistente durante todo o período, Shai Gilgeous-Alexander sempre aparecia no momento certo para não deixar OKC se perder mentalmente em quadra. E na reta final do período, a defesa do Thunder engoliu completamente os Mavs. No ataque, os visitantes passaram a trabalhar mais a bola e aproveitaram a lentidão da defesa de Dallas para se recompor no perímetro. Oklahoma engatou uma sequência de 24 – 6 nos últimos quatro minutos do período e disparou no placar ao fim da primeira etapa: 64 – 48.

A perda de momento de Dallas não se deu apenas por conta da ótima defesa de OKC, mas também por um fator que persegue a equipe desde o início dos playoffs. Ninguém demonstrou capacidade de criar seu próprio arremesso ou forçar faltas para aliviar o protagonismo de Luka Doncic em quadra. Kyrie Irving tinha lapsos de um basquete fantástico, mas mais uma vez, deixou a desejar em termos de volume. Jaden Hardy foi o melhor companheiro do esloveno no primeiro tempo, mas o baixo QI de basquete do guard constantemente resultava em decisões equivocadas e posses perdidas.

3º quarto

Se OKC terminou o segundo período em alto estilo, foi a vez de Dallas dominar o confronto no terceiro período. Derrick Joner Jr. foi fantástico anotando os sete primeiros pontos de sua equipe no segundo tempo, e o time da casa se aproveitou da baixa produtividade da segunda unidade de Oklahoma em quadra. Luka e Kyrie passaram a chamar mais a responsabilidade e o camisa 11 finalmente apareceu para jogo. Os Mavs engataram uma run de 11 – 0, com o Thunder tendo um péssimo aproveitamento ofensivo.

Vendo sua equipe se desmontar completamente, Mike Daigneault tentou se aproveitar ao máximo da magra vantagem no placar e descansou Shai Gilgeous-Alexander e Chet Holmgren por boa parte do período. Aaron Wiggins passou a ser o iniciador de jogadas do time de Oklahoma e, sem muitas surpresas, o armador reserva demonstrou grande dificuldade em superar a defesa adversária. No garrafão, a presença de Dereck Lively foi essencial para que Dallas parasse de ceder pontos de segunda chance para OKC.

E quando parecia que Dallas finalmente ia engatar uma boa sequência para tentar encostar no placar, Shai voltou para quadra. E em menos de dois minutos em quadra, a estrela de Oklahoma mudou completamente a partida. Foram sete pontos para ele logo de cara, e o Thunder voltou a abrir 10 pontos de diferença no marcador. Para tentar estancar a ferida cusa por SGA, Dallas ainda conseguiu levar um pouco de momento para o último quarto após uma bola de três pontos convertida por PJ Washington nos segundos finais do período.

4º quarto

O último período começou à todo vapor, com um back-and-forth fantástico. Dallas conseguiu ser ligeiramente melhor, com Derrick Jones Jr. e PJ Washington complementando muito bem o protagonismo de Luka e Kyrie. Em OKC, o completo oposto aconteceu. Bem marcado, Shai não conseguia infiltrar no garrafão ou ficar em boas condições na posição de média-distância – por isso, o ala-armador teve de confiar em seus companheiros. Chet Holmgren foi muito mal ao tentar dar uma de “playmaker”, Jalen Williams não conseguiu vencer a marcação de zona de Dallas e o calouro Cason Wallace foi terrível ofensivamente.

Um dos grandes problemas de Oklahoma no confronto foi justamente a pouca produtividade dos role-players. Wiggins, Wallace e Giddey mais atrapalharam do que ajudaram. Apenas Isaiah Joe conseguiu ter uma contribuição decente ao lado de Lu Dort. E em meio à sequência ruim de OKC, Dallas viu Dereck Lively ser literalmente gigante para conseguir a recuperação no placar.

Com apenas cinco pontos de diferença no placar (92 – 97), o pivô conseguiu um rebote ofensivo essencial e acionou Kyrie Irving livre no perímetro. Bola de três pontos convertida e apenas dois pontos de desvantagem para os Mavs. Na posse ofensiva seguinte, Lively brilhou de novo: conseguiu a enterrada no rebote ofensivo e empatou o confronto.

A American Airlines Center explodiu, mas Oklahoma teve calma e frieza para não se desesperar. A equipe trabalhou a bola com segurança no ataque e conseguiu responder Dallas na medida. O confronto, que foi em sua maior parte definido por “sequências” de pontuação de ambas as equipes, se tornou completamente acirrado pela primeira vez. Lively conseguiu um ótimo lance de dois pontos + falta, mas Shai respondeu imediatamente. Os Mavericks conseguiram a virada após uma jogada fantástica de PJ Washington. Lively foi para linha de lance-livre e desperdiçou o último, mas PJ apareceu para conseguir o rebote ofensivo.

O ala-pivô passou para Irving e correu para o perímetro – o camisa 11 acionou PJ, que acertou a bola de três pontos. Na posse seguinte, Luka Doncic ficou na isolação com Lu Dort e converteu um arremesso contestado de média distância para virar o jogo. Em um ritmo absurdo, Jalen Williams respondeu para OKC com uma bola de três pontos. Kyrie imediatamente freiou o momento de Oklahoma com uma bola de três pontos fantástica (à la Kawhi Leonard contra Philadelphia).

Shai conseguiu deixar o Thunder vivo no confronto com outra bola de meia distância, mas na posse de Dallas, PJ Washington mais uma vez anotou uma bola de três livre de marcação para incendiar de vez a arena texana. Oklahoma desperdiçou a posse seguinte e Derrick Jones Jr. matou uma bola “espírita” em um turnaround fadeway no estouro do cronômetro que parecia ter definido a vitória dos Mavs – mas Shai respondeu com uma bola de três pontos e deixou a diferença em apenas dois pontos no placar (113 – 115).

E então, com menos de 30 segundos restantes no relógio, OKC ganhou um “presentaço” de Dallas após PJ Washington cometer uma falta em Lu Dort antes do time visitante sair com a bola fora de quadra. O Thunder teve um lance-livre, convertido por Shai, e ainda tinha a posse com 20 segundos no relógio. Em uma ótima jogada desenhada, Shai atraiu a marcação no topo do garrafão e fez a ponte aérea para Chet Holmgren, que subiu sozinho na enterrada e colocou sua equipe na frente do placar (116 – 115).

Dallas tinha a última posse da partida em mãos e precisava pontuar. OKC marcou muito bem Luka e Kyrie, e após quase todo o tempo de quadra se esgotar, a bola sobrou em PJ Washington na zona morta. O ala-pivô subiu para o arremesso e sofreu a falta de Shai. Com um desafio a pedir, Mark Daigneault mandou o lance para revisão – sem pensar no fato de que esta decisão praticamente daria a vitória para Dallas.

Isso porque a falta foi bastante clara, e a chance de uma reversão era nula. OKC perdeu um tempo e consequentemente, a oportunidade de desenhar uma jogada a partir do meio da quadra com 2.5 segundos no relógio. PJ Washington converteu os dois lances-livres iniciais e errou o terceiro propositalmente, sacramentando a vitória.

Resultado: Dallas Mavericks 117 – 116 Oklahoma City Thunder

A juventude encantadora de Oklahoma acabou sendo um fator determinante para a decisão nos segundos finais. Faltou experiência para Shai não apenas ter evitado uma falta “boba”, como também para ter evitado que Mark Daigneault pedisse a revisão da jogada. PJ Washington já estava completamente desequilibrado no momento do arremesso, e mesmo se ele convertesse todos os lances-livres, Oklahoma precisaria apenas de uma bola de dois pontos para levar o jogo para prorrogação.

Mas apesar da decisão significativa de OKC que acabou definindo o resultado do duelo, Dallas é quem merece 100% dos méritos. A equipe de Jason Kidd em nenhum momento se frustrou ou perdeu o mental – e surgiram diversas oportundidades para isto acontecer, principalmente envolvendo o “quesito” arbitragem. Com um triplo-duplo, Luka foi o cestinha de Dallas na vitória: 29 pontos, 10 rebotes e 10 assistências. Kyrie Irving finalmente dividiu um pouco do protagonismo e contribuiu com 22 pontos, sendo 18 deles no segundo tempo.

No entanto, os verdadeiros destaques dos Mavericks foram PJ Washington e Dereck Lively. São dois atletas jovens assim como as estrelas de OKC, mas que tiveram um pouco mais de inteligência emocional para reverter completamente a situação à favor de Dallas no último período. PJ anotou apenas nove pontos – mas todos eles foram no último período. Já Lively anotou um duplo-duplo com 12 pontos e 15 rebotes.

Por Oklahoma, Shai Gilgeous-Alexander cometeu um erro definitivo, mas não pode ser nunca taxado como o vilão da eliminação de sua equipe. Foram 36 pontos e 8 assistências para o canadense, sem anotar nenhum turnover durante 43 minutos. O segundo melhor jogador de OKC foi Jalen Williams, com 22 pontos, 9 rebotes e 8 assistências.

Agora, Dallas aguarda o vencedor da série entre Denver Nuggets e Minnesota Timberwolves. As duas equipes entram em quadra no jogo 7 neste domingo (19), às 21h, horário de Brasília.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *