Dudu
Futebol Brasileirão

Caso Dudu: Cruzeiro tinha plano para atacante, frustrado pelo “Não” dele, entenda:

A contratação do atacante Dudu pelo Cruzeiro por quatro temporadas era vista como uma das cartadas principais do clube e havia uma série de ações e preparativos programados para receber o jogador de 32 anos, cujo recuo do atleta levou tudo por água abaixo.

Após Dudu sinalizar que estava buscando “novos ares”, o Cruzeiro ofereceu um contrato longo e um salário compatível ao que recebia no Palmeiras, tendo como plano tê-lo até a sua aposentadoria. O atacante também era um sonho pessoal do sócio majoritário da SAF, Pedro Lourenço:

“O Cruzeiro fez um esforço fora da sua realidade através do Pedrinho, que está levantando a qualidade técnica. Tem que ter investimento” – disse Alexandre Mattos.

Dudu era considerado um dos grandes investimentos a serem feitos pela nova gestão do clube, juntando ao goleiro Cássio como uma considerada de grande impacto. O goiano também era visto como uma peça importante para trazer mais experiência ao elenco do Cruzeiro, considerado jovem pela diretoria celeste.

“A torcida do Cruzeiro, o Pedrinho, que está fazendo um esforço pra alavancar o Cruzeiro novamente. Um esforço até pessoal, ele é dono, mas ele está fazendo e o Dudu. O Dudu é uma prioridade nossa no nosso projeto, nosso sentido – disse Alexandre Mattos antes do fim da negociação.

O Cruzeiro também se movimentou nos bastidores. O ex-zagueiro Edu Dracena, que é diretor técnico do clube e foi colega de Dudu, realizou uma ligação para conversar com o atacante. Assim como Cássio, o clube também planejava buscar o atacante aos mesmos moldes: em um avião particular, muito possivelmente do sócio majoritário da SAF, Pedro Lourenço. A aeronave já estava sendo preparada para voar para São Paulo.

 

DUDU VOLTARIA PARA O CRUZEIRO

Revelado pelo Cruzeiro, em 2009, Dudu não brilhou no profissional, passou pelo exterior, vestiu a camisa do Grêmio e se tornou ídolo do Palmeiras. É amigo pessoal de Alexandre Mattos, CEO do futebol do Cruzeiro, que desejava voltar a trabalhar com o atacante.

“Tenho certeza absoluta que o Baixola, que carinhosamente a gente chama ele, vai ser extremamente feliz aqui” – esperava o diretor.

(Foto: Divulgação/Cruzeiro)