Vini Jr.
Futebol

FIFA adota punição esportiva para racismo no futebol e cria gesto de denúncia, entenda:

A FIFA anunciou nesta quinta-feira (16) que irá obrigar as suas 211 filiadas a adotar em seus códigos disciplinares, artigos específicos condenando atos racistas no futebol, com punições severas. Uma delas é o encerramento abrupto do jogo, e declarando a derrota do clube que tiver torcedores praticando estes atos.

Outra intervenção anunciada pela entidade, é um gesto de denúncia, que será utilizado por jogadores, para avisar aos árbitros, que estão sendo alvos de insultos pela sua raça. O gesto a ser feito são os dois braços cruzados na altura dos punhos, com as mãos estendidas e os dedos esticados. 

FIFA
Procedimento de gestos da arbitragem criado pela Fifa para casos de racismo no futebol.

 

Semelhante ao aviso do VAR (fazendo uma tela de TV com os dedos), os árbitros também poderão fazer o gesto de denúncia, com o intuito de informar o público que entrará um protocolo de três passos, que também será obrigatório o uso pelas filiadas:

 

  1. O árbitro deve parar e pedir um anúncio (ao sistema de som e/ou telão) exigindo o fim do comportamento racista;
  2. Caso os atos continuem, o árbitro pode suspender a partida temporariamente, com a saída dos times de campo e um novo anúncio de advertência;
  3. Finalmente, se o comportamento ainda persistir, o árbitro pode determinar o fim da partida, com derrota do time associado aos atos racistas.

 

Além da punição esportiva, a FIFA também anunciou que não vai medir esforços para que o racismo seja reconhecido como crime em todos os países do mundo, apesar de que a entidade não tenha o poder de mudar legislações de países, porém irá pressionar politicamente pra isso.

Um painel antirracista, composta por jogadores e ex-jogadores, será criado para monitorar as filiadas na implantação do plano, além de um programa de educação para crianças. O plano foi apresentado por Gianni Infantino, presidente da entidade, sendo aprovado por unanimidade pelos 36 integrantes do conselho em reunião na última quarta-feira (15).

“A decisão da Fifa é histórica e mostra a coragem do presidente Infantino e das 211 federações em lutar contra o racismo no futebol e no mundo. O Brasil foi pioneiro ao desafiar os racistas, a CBF foi a primeira confederação nacional a adotar punição esportiva. Quando entrei no Conselho da Fifa, anunciei que a luta contra o racismo seria uma das minhas bandeiras na entidade. Por isso, minha satisfação é ainda maior. O racismo é um crime que atinge a alma e não há mais espaço para racistas no futebol” – comentou o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues.

 

VINÍCIUS JR FOI PROCURADO PELA FIFA 

Uma das pessoas consultadas para a implantação do plano, foi o jogador brasileiro Vinícius Jr, do Real Madrid, que foi diversas vezes insultado em jogos da La Liga, e se tornou um dos embaixadores da luta antirracista no esporte. Vini foi procurado por Infantino, enquanto esteve jogando pela Seleção Brasileira em Junho do ano passado.

Vinícius foi um dos jogadores e ex-jogadores consultados pela FIFA para a consolidação do plano, como informou o secretário-geral da FIFA, Mattias Grafstrom, em carta divulgada para as 211 filiadas para o anúncio deste plano. 

(Fotos: Angelika Warmuth/Reuters; Reprodução/FIFA)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *