Haas
Automobilismo Fórmula 1

Fórmula 1: Após demissão, Günther Steiner e Haas trocam acusações e ações na justiça, entenda:

O ex-dirigente da Haas, Günther Steiner e a escuderia norte-americana estão trocando inúmeras farpas após a demissão do italiano, ocorrida em janeiro deste ano. No final de abril, Steiner entrou com uma demanda em juízo alegando não ter recebido pagamentos de comissões entre os anos de 2021 e 2023.

Segundo o processo registrado na comarca da Carolina do Norte, o ex-dirigente alegou que a Haas continuava a usar referências à sua imagem em “materiais promocionais e merchandising”.

“Depois de anos aceitando os benefícios da reputação, da experiência e das profundas conexões do senhor Steiner com o esporte, a Haas F1 não pode vetar o senhor Steiner dos benefícios que ele conquistou”, afirma o texto da ação.

Em resposta a Steiner, a companhia e seu dono, Gene Haas, responderam com outra demanda em juízo contra ele, alegando violações de marca no livro Surviving to Drive, escrito pelo dirigente. Segundo a ação, a publicação e a editora Ten Speed Press agiram de má-fé ao publicarem imagens no livro.

“Sem a permissão ou o consentimento da Haas Automation, Steiner escreveu, divulgou, promoveu, vendeu e lucrou com uma publicação de nome Surviving to Drive, que usou e exibiu, e continua a usar e exibir, marcas registradas da Haas Automation para ganho financeiro pessoal e lucro ilícito de Steiner”, registra o documento.

 

QUEM OCUPOU O CARGO NA HAAS?

Atualmente, quem ocupa o cargo de dirigente na Haas, é o japonês Ayao Komatsu. Após a sua demissão, Steiner tem trabalhado como comentarista de TV e colunista do site oficial da F1, além de ter sido embaixador do Grande Prêmio de Miami.

(Foto: Divulgação/ Haas F1 Team)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *