Daniel Jones; Quarterback Giants
NFL Notícias

GM dos Giants defende Daniel Jones em clipe de ‘Hard Knocks’

O primeiro episódio de Hard Knocks: Offseason com o New York Giants iniciou com uma análise profunda das decisões cruciais da offseason, centradas nos destinos de Daniel Jones e Saquon Barkley. A relação entre seus futuros em Nova York revelou-se mais complexa do que o esperado.

Giants Apostam em Daniel Jones e Fecham Portas para Barkley

Ao optarem por dar ao quarterback uma nova oportunidade de provar seu valor após uma temporada marcada por lesões, os Giants efetivamente fecharam as portas para um retorno de Saquon Barkley à equipe. O gerente geral Joe Schoen justificou a decisão, destacando que investir $40 milhões em Jones não é simplesmente para entregar a bola a um running back que custaria $12 milhões por ano.

Jones representa cerca de 20% do teto salarial dos Giants para 2024, o que tornou a recusa em colocar a franchise tag em Barkley e a $12 milhões anuais uma escolha direta. Tim McDonnell, diretor de pessoal da equipe, questionou retoricamente qual seria a identidade ofensiva dos Giants sem Saquon, enquanto Schoen destacou que havia prioridades maiores a serem abordadas.

Desafios e Apoio: O Futuro de Daniel Jones com Giants

Para nós de fora, o destino do Jones e dos Giants parecia selado. Após um ano de 2023 tumultuado, onde Jones enfrentou dificuldades e uma série de lesões, incluindo uma ruptura do ligamento cruzado anterior, a chegada de Drew Lock e os subsequentes rumores de sua possível substituição alimentaram as especulações sobre o futuro do quarterback titular.

Entretanto, Schoen reiterou o apoio inabalável da diretoria a Jones em um episódio recente de Hard Knocks, apontando as adversidades enfrentadas pela linha ofensiva da equipe como um fator crucial nas dificuldades de Jones. Com três lesões graves em dois anos, Schoen enfatizou que não está pronto para desistir do potencial do jovem quarterback, apesar das críticas e limitações evidentes.

“A realidade é, fatos: três lesões graves em dois anos”, disse Schoen. “Precisamos nos proteger. [Jones] não teve muita chance este ano. Isso é legítimo. Na offseason, os quatro caras, os caras principais que iam jogar juntos jogaram menos de 60 snaps juntos. Em Miami, temos três caras do squad de treino jogando por nós. Tipo, ninguém poderia, você poderia ter Pat Mahomes e ele não conseguiria vencer atrás disso. Eu não estou desistindo dele.”

Jones enfrentou um cenário desafiador em 2023, com uma linha ofensiva instável que resultou em um alto índice de sacks — 30 em apenas seis jogos, refletindo o terceiro pior desempenho da NFL na temporada. Entre os jogadores que sofreram tantos sacks jogando menos da metade da temporada, apenas Ryan Tannehill e Danny DeVito, reserva de Jones, enfrentaram situações comparáveis.

Tensão e Expectativas: O Ano Decisivo de Daniel Jones

À medida que Jones se recupera de lesões no pescoço e no ligamento cruzado anterior, ele se prepara para um sexto ano decisivo com os Giants. A adição do wide receiver de primeira rodada Malik Nabers pode fortalecer significativamente o ataque, mas a melhoria crucial da linha ofensiva é fundamental para oferecer a Jones uma verdadeira chance de sucesso.

“Meu plano é abordar a linha ofensiva em algum momento da free agency”, disse Schoen. “Estamos na [posição] 6, há uma chance de haver uma arma ofensiva ali.

Resumidamente, este é um ano crítico para Daniel Jones. Os Giants estão determinados a decidir se ele é o líder que irá moldar os próximos anos da franquia ou se será necessário buscar uma nova direção.

“Este é o ano para Daniel. O plano desde o início era dar a ele alguns anos. Ele é nosso cara para os próximos 10 anos? Ou precisamos mudar e encontrar outra pessoa?”