imola
Automobilismo Fórmula 1

F1: Imola coloca caixa de brita e elimina áreas de escape com asfalto

O esforço da Fórmula 1 para se livrar dos problemas com os limites de pistas levou a expansão das caixas de britas no circuito italiano de imola, onde acontece nesse final de semana o Grande Prêmio da Emiglia Romagna sétima etapa do campeonato mundial de F1 nesse ano.

Enquanto os pilotos faziam suas caminhadas tradicionais pelo circuito nas quintas-feiras antes dos Grande Prêmio, as mudanças mais notáveis que eles notaram estão em várias áreas de escape ao redor do local. As principais áreas do circuito foram reconfiguradas; com as anteriores áreas de escape, que eram feitas com asfalto, sendo reduzidas e substituídas por caixas de britas.

As principais mudanças estão na Piratella (Curva 9), onde a brita passa agora muito mais perto da borda da pista, do lado direito. Outra curva que teve mudança foi do lado de fora da Acque Minerali, onde teve a área de escape drasticamente reduzida e substituída por cascalho, o que não deixará margem de erro para os pilotos nessa curva.

Há também agora uma área de escape com cascalho na saída da Variante Alta, o que significa que qualquer erro que os pilotos cometam nesta área provavelmente significará o abandono da prova, como aconteceu na mesma curva com Charles Leclerc em 2022.

Mudanças já estavam em Imola desde o início do ano

As áreas de escape renovadas já estavam instaladas antes da etapa do Campeonato Mundial de Endurance do mês passado na mesma pista, que contou com uma série de incidentes numa prova atingida uma forte chuva.

A mudança de abordagem em relação ao aumento das áreas de brita ocorre em meio a algumas resistências sobre o crescimento das áreas de escape de asfalto nos últimos anos, embora isso dê aos pilotos maior espaço para erros e significa que não fiquem fora da prova essas áreas resultaram no aumento de abuso dos limites de pista nas corridas.

O maior exemplo disso foi no GP da Áustria do ano passado, em que a falta de caixa de britas foi considerada um fator que contribuiu para que os pilotos andassem repetidamente fora do traçado e foram contabilizadas 1200 inflações ao longo da prova.

Espera-se que o Red Bull Ring faça alterações para este ano com relação a isso. Outro circuito que deve passar por algumas alterações nesse sentido é o traçado de Monza, que recebe o GP da Itália no início de setembro.

Mudanças pedidas pelos pilotos

Como parte da renovação do circuito de Spa-Francorchamps há alguns anos, foram adicionadas mais caixa de britas em alguns pontos da pista, algo que os pilotos gostaram em geral.

Carlos Sainz na época disse 1: ”Bem-vindo de volta ao cascalho e reze por mais áreas assim no futuro, como de grama também e tudo mais. Porque é exatamente o que acho que todos precisamos para tornar os circuitos bonitos e espetaculares novamente”.

Imola também fez alterações nas zebras, reinstalando camadas duplas em várias curvas da pista. Elas foram colocadas no lado esquerdo das curvas 2, 4, 5, 9 e 19 e no lado direito das curvas 3, 6, 11 e 12; além da saída da curva 15, na Variante Alta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *