Gustavo Mosquito
Brasileirão Futebol

Justiça rejeita liminar pedida por Gustavo Mosquito para rescindir com Corinthians

A Justiça do Trabalho indeferiu nesta quarta-feira (03) a liminar, pedida pelo atacante Gustavo Mosquito, para que fosse reconhecida a rescisão do contrato dele com o Corinthians por inadimplência. O jogador pode recorrer da decisão. Ele alegava que o clube não recolheu o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) em abril e maio, além de não quitar três parcelas referentes a direitos de imagem e uma do pagamento de luvas.

Em sua decisão, a juíza do trabalho substituta Daniela Mori apontou que a parcela das luvas que estaria atrasada não vence em 15 de junho, como alegado pelo atleta, mas ”sempre no último dia de fevereiro”. Não haveria parcela atrasada neste momento. A magistrada também escreveu que, no mesmo dia que a ação foi distribuída, Mosquito se manifestou no processo informando que o Alvinegro recolheu o FGTS e demais verbas que estavam em atraso.

 

A DECISÃO DA JUIZA SOBRE A LIMINAR DE GUSTAVO MOSQUITO

”Desta feita, não há neste momento qualquer inadimplemento da ré a justificar a culpa do empregador para extinção do contrato”, diz trecho da decisão

”O artigo 90, parágrafo 1 da lei 14.597/23 prevê ser hipótese de rescisão indireta do contrato especial do atleta a inadimplência referente a renumeração do atleta profissional ou ao contrato de direito de imagem, por período igual ou superior a dois meses, o que não é o caso dos autos. Isso Posto, indefiro o pedido liminar e não reconheço a rescisão do contrato nesta data e, por consequência, o cancelamento do vínculo desportivo entre as partes, nós temos requeridos”, completou a magistrada.

(Foto: Reprodução/Instagram)