Derrick Lewis
Lutas UFC

Após vitória, Lewis dá show para torcida com direito a celebração obscena e provocação

Derrick Lewis mais uma vez deixou os fãs impressionados, não apenas com seu poderoso nocaute, mas também com uma celebração que ficará na história do UFC.

No UFC St. Louis, no sábado à noite, Lewis garantiu uma enorme vitória por nocaute sobre Rodrigo Nascimento no terceiro round de sua luta. No entanto, foi sua celebração que roubou a cena. Derrick brincou com a multidão no Enterprise Center durante sua celebração, tirando o short e chegando até mesmo a remover sua proteção genital e jogá-la para a multidão, aparentemente oferecendo-a como lembrança.

No entanto, ele também abaixou a sua cueca por um segundo, mostrando a bunda para a arquibancada. Irreverente, o histórico peso-pesado brincou na entrevista pós-luta. Curiosamente, a proteção de Lewis foi capturada por alguém na multidão com acesso à coletiva de imprensa com Dana White e o vencedor da luta. Embora White parecesse hesitante em autografá-la, Lewis rapidamente aceitou.

“Agradeço a St. Louis por me deixar mostrar minha bunda nua hoje à noite”, comentou o recordista de nocautes após sua vitória.

Lewis não perdeu tempo em impor sua dominação na luta. Ele começou forte, acertando um chute forte na cabeça logo de cara e conseguindo uma boa queda no primeiro round. No entanto, só no terceiro round que ele agiu.

Menos de um minuto no round final, Lewis desferiu um golpe na cabeça de Nascimento, fazendo o brasileiro de 31 anos cambalear para o chão. Derrick aproveitou a oportunidade, acertando mais golpes antes que o árbitro encerrasse a luta. Nascimento não teve chance após atingir o chão, levando a uma celebração explosiva em Missouri.

O histórico de Lewis

Com esta vitória, Lewis alcançou seu 15º nocaute na carreira no UFC, tornando-se o recordista de nocautes na história do esporte.Por outro lado, Nascimento, que entrou na luta com uma sequência de três vitórias, agora possui um recorde geral de 11-2. Esta derrota marcou sua primeira derrota desde 2020.

Quanto a Lewis, a vitória melhora seu recorde de carreira para 28-12. Apesar de ter perdido cinco de suas últimas sete lutas antes do UFC St. Louis, o lutador de 39 anos mostrou confiança, até insultando o seu rival..

“Eu não poderia deixar um motorista de táxi do Brasil me vencer”, brincou Derrick. “Esta é a primeira vez que ouço falar desse cara. Não há como eu deixar alguém me vencer.”

(Foto: Divulgação/UFC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *