000 34TX792
Futebol

Manchester United vence o City na base da camisa e da vontade, conquistando a FA Cup

Pela segunda vez consecutiva, os dois times de Manchester voltaram a decidir a Copa da Inglaterra. O City, embalado pelo quarto título seguido da Premier League, enfrentou um United em momento turbulento, podendo ficar fora de competições europeias em caso de derrota.

Pep Guardiola queria vencer a partida impondo seu estilo de jogo de toque de bola para encontrar as oportunidades naturalmente com a bola no chão, enquanto Erik ten Hag, que poderia estar fazendo sua última partida no comando dos Red Devils, foi a Wembley para jogar fechado e explorar a velocidade de seus jogadores no contragolpe.

Com aplicação física e tática, além do peso da camisa, o Manchester United conseguiu fazer o mesmo resultado que sofreu na final do ano passado para conquistar a Copa da Inglaterra.

Manchester United é letal na primeira etapa

A final começou com um lance polêmico já no primeiro minuto, com Haaland pedindo pênalti de Lisandro López, mas o VAR não confirmou a penalidade.

O City tinha o domínio do jogo, tocando a bola no campo de ataque e tentando achar um espaço. Só que o primeiro chute foi do United, com Garnacho testando Ortega.

Quando o City dominava a partida, tocando a bola no campo de ataque, veio um erro de passe de Rodri, que resultou num lançamento de Amrabat. A bola chegou em Gvardiol, que quando recuou acabou encobrindo Ortega me um lance bizarro. Com isso, Garnacho ficou com a posse dentro da área, sem goleiro, para fazer o primeiro gol da decisão.

O Manchester City ficou um pouco atordoado com o gol, atacando e deixando muito espaço aberto. Primeiro, Garnacho puxou um contragolpe e tocou para Rashford chutar no fundo das redes, mas o argentino estava impedido.

Entretanto, dois minutos depois foi inapelável. Garnacho novamente levou o Manchester United para a frente, cruzou rasteiro para Bruno Fernandes, que num toque de primeira deixou Mainoo livre para anotar o segundo gol dos Red Devils.

E, com o jogo totalmente para o lado vermelho, dando a bola para o City, que nada conseguia fazer, acabou o primeiro tempo.

City assusta no fim, mas o título é vermelho

A etapa complementar começou com o Manchester United muito mais lúcido, aproveitando os espaços para seguir tentando atacar.

Apesar do Manchester United bem postado, o City foi quem conseguiu a primeira chance clara, com Haaland recebendo de Doku e chutando firme no travessão. Esse gol colocaria fogo no jogo.

O Manchester City se empolgou e adiantou ainda mais as suas linhas, empurrando o rival para atrás. Cinco minutos depois, Walker acertou um chute de muita felicidade, mas Onana fez uma defesaça, salvando os Red Devils. Um minuto depois, Julián Álvarez teve boa chance, mas chutou por cima.

Aos 19’, Phil Foden conseguiu um passe de cinema para Álvarez, que na cara do gol chutou para fora a oportunidade de recolocar o City na disputa.

Enquanto o City, tentava achar algum espaço para anotar seu gol, o Manchester United sabia explorar a velocidade de Garnacho, a grande válvula de escape do time.

Novamente o Manchester City voltava a empurrar o rival para atrás, após um escanteio, Haaland reclamou de pênalti de novo. E, aos 31’, Walker acertou um belíssimo chute para ótima defesa de Onana.

Quando parecia que o City empilharia chances de gol, o Manchester United voltou a equilibrar as ações, sofrendo muito menos que o esperado.

Entretanto, faltando quatro minutos para o fim do tempo regulamentar, Doku fintou e bateu rasteiro no canto. Onana, que jogava muito bem, aceitou uma bola defensável, resgatando o City no jogo e fazendo o final da partida se tornar emocionante.

Apesar de toda a atmosfera criada após o gol do City, nada de muito especial aconteceu nos acréscimos e o Manchester United garantiu o improvável título pelo momento das equipes.

Final: Manchester United 2x1 Manchester City

Manchester United comemora segundo gol na conquista da FA Cup sobre o City
Manchester United comemora segundo gol na conquista da FA Cup sobre o City (Imagem: Getty Images)

Comentários finais do título do Manchester United

O Manchester United fez uma das suas piores temporada na Premier League na história, porém, com o peso da camisa e muita vontade de dar a volta por cima, o time levou a taça, conquistando a FA Cup.

Os garotos Garnacho e Mainoo mostraram que são o futuro dos Red Devils, com uma defesa que se comportou muito bem e um jogador cerebral como Bruno Fernandes, o time mostrou que pode em breve se tornar uma potência inglesa novamente.

O título dá essa nova perspectiva a esse gigante da Inglaterra, que com uma nova administração e recursos injetados, pode fazer a alegria de seus milhões de torcedores pelo mundo.

Ao Manchester City fica a lição de que quando o individual de alguns jogadores não funciona, a tática não é suficiente para dar a vitória ao time quando enfrenta um oponente bem postado, ainda mais quando se trata do maior rival.

A dúvida que fica é se Erik ten Hag continuará ou não no comando técnico do Manchester United, contudo, aconteça o que acontecer, fica um sentimento de missão cumprida por subir jogadores que hoje são primordiais para a equipe e conquistar um título em sua passagem, justamente diante do rival caseiro, bicho-papão da Inglaterra nas últimas temporadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *