cazares atletico
Futebol

Atlético: Empresa entra com protesto judicial para cobrar comissão de Cazares

(por Fabrício Carvalho)Nesta quarta-feira (13), a empresta BRIO Pro Intemrediações acionou judicialmente o Atlético em ação de “protesto judicial” devido a um débito acima de R$204 mil envolvendo comissionamento pela renovação de contrato de Juan Cazares.Esta solicitação judicial tem como objetivo interromper o prazo de prescrição da dívida. Atualmente no América, o meia-atacante renovou contrato com o Atlético em fevereiro de 2028 até dezembro de 2020. Neste acordo, a BRIO Pro receberia R$422.499,00 de comissão.O acordo previa que o Atlético pagaria valor em sete prestações iguais de R$ 60.357,00, mas o Atlético deixou em aberto as parcelas de junho até setembro de 2018. A rescisão com o jogador ocorreu de forma amigável em 2020, mas o pagamento com a BRIO segue em aberto com o valor de R$204.148,68.As duas partes alegam no contrado que a CNRD (Câmara Nacional de Resoluções de Disputas) é responsável pelo julgamento de controvérsias em relação ao contrato. No entanto, a CNRD prevê que o prazo para protesto é de dois anos, a partir do fato postulado.Por fim, a BRIO Pro acionou a CNRD para que a Câmara declare incompetência para julgar o caso, mas o processo ainda não foi concluído. Ou seja, o protesto judicial é um alerta para a Justiça Comum sobre o crédito que está sob ameaça de prescrição.Imagem: Bruno Cantin / Atlético

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *