massa brasil2008
Automobilismo

Equipe jurídica de Felipe Massa estende prazo final para resposta da FIA sobre 2008

(por Mattheus Prudente) Com o processo de Felipe Massa sobre o título mundial de 2008 rolando, a FIA lançou uma investigação para tratar sobre o assunto, e tinha até esta quinta-feira (12) para dar uma resposta à equipe jurídica de Massa sobre o assunto. No entanto, a entidade pediu uma extensão nesse prazo, que foi permitida pela equipe do brasileiro. Essa resposta agora deve chegar até o próximo dia 15 de novembro. Segundo o advogado de Massa, Bernardo Viana, eles permitiram essa extensão porque a nova gestão da FIA deve analisar a situação com boa-fé, cobrando uma posição da Liberty Media sobre o caso. “A FIA e a FOM estão concluindo uma investigação interna e solicitaram uma última prorrogação do prazo inicialmente solicitado, de 12 de outubro a 15 de novembro. Concordámos com este período final porque se a nova administração estiver realmente a analisar o assunto de boa-fé, certamente chegará à mesma conclusão que nós e tantas pessoas em todo o mundo chegamos.  Gostaríamos de saber qual é a posição da nova liderança da Fórmula 1 em relação ao escândalo recentemente divulgado e à injustiça enfrentada por Felipe Massa,” disse Viana. Chamado de “Crashgate”, o caso reclamado por Massa aconteceu durante o GP de Singapura de 2008, e custou o título mundial ao brasileiro, já que, se isso não tivesse acontecido, ele teria conquistado os pontos necessários para não perder o campeonato por um ponto na última corrida, no Brasil. Recentemente, Massa falou sobre o assunto, se dizendo surpreso pela falta de apoio da Ferrari até agora: “Para ser honesto, conversamos nas cartas sobre o lado jurídico, mas não vejo por que a Ferrari não estaria do meu lado. Como perdemos o campeonato, eles tiraram o campeonato de nós, de mim e da Ferrari. Quando você ouve Toto Wolff falando sobre 2021, a Ferrari precisa fazer o mesmo. A Ferrari precisa lutar pelo melhor da equipe e não vejo realmente a Ferrari longe da manipulação que aconteceu comigo. No momento, eles não disseram realmente: ‘Tudo bem, estamos juntos’. Acho que estão esperando para ver o que vai acontecer,” afirmou Massa. Entenda o Crashgate    A disputa entre Massa e Hamilton era ferrenha em 2008, e os dois chegaram nesse cenário ao recém-criado GP de Singapura, a primeira prova noturna da história da categoria. Buscando uma vitória depois de trazer um carro muito abaixo para aquela temporada, a Renault tinha Fernando Alonso e Nelsinho como pilotos.    Alonso largou de 15º e parou cedo, fato que não era tão comum, pois os pilotos que largavam do fundo do grid geralmente faziam stints mais longos. No entanto, após aquela parada, a Renault, por meio do chefe de equipe Flavio Briatore, pediu para que Nelsinho batesse de propósito, causando um Safety Car que forçaria paradas e jogaria Alonso para o topo. O espanhol venceria a prova.    Nessa rodada de paradas, Massa teve um problema nos boxes, quando recebeu a luz verde e estava saindo dos pits, mas a mangueira de abastecimento ainda não havia saído de seu carro. Essa gafe fez com que ele caísse para 13º quando estava liderando a prova. Hamilton, por sua vez, foi o terceiro.    Massa campeão?    Após a acusação contra Briatore, a F1, que tinha Bernie Ecclestone como presidente, começou uma investigação que causou a demissão de todos os envolvidos, com Nelsinho nunca mais ganhando uma chance na categoria. O resultado da corrida não foi mudado, já que, ao fim das investigações, o campeonato já havia acabado.   Depois de toda a situação, Ecclestone admitiu saber que Briatore mandou Nelsinho bater de propósito, mas preferiu não lançar uma investigação minuciosa para não manchar a imagem da categoria. Essa fala foi corroborada por Max Mosley, presidente da FIA na época, que também admitiu saber do esquema.    Isso motivou Massa a buscar a justiça, e enviar a chamada “letter before claim”, que é um procedimento padrão para a justiça britânica antes de um processo formal. Se o resultado da corrida for modificado ou a prova for anulada, o brasileiro seria declarado campeão mundial de piloto em 2008. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *