Lutas

Ngannou reclama e afirma que lutadores são roubados pela organização do UFC

(por Igor de Paiva)O atual campeão do peso pesado (até 120,2 kg), Francis Ngannou tem travado inúmeras batalhas com a alta cúpula do UFC. Em suma, o lutador quer uma valorização financeira, além da liberação para lutar boxe. Ainda sem uma resposta sobre esses assuntos, o atleta atacou os patrocínios da organização.Em suma, a organização fechou contrato com um patrocinador para os uniformes dos lutadores em 2015. A primeira foi a Reebok, e a segunda, desde de 2021, é a Venum. Desse modo, um lutador não pode fechar contrato com uma marca de forma privada, fazendo os lutadores perderem negócios importantes.Sendo um dos maiores do UFC, Ngannou usou suas redes sociais para criticar novamente a organização. As declarações do africano, feitas no Twitter, acusam a alta cúpula de explorar os competidores.“Os lutadores são roubados com patrocínio. É uma enorme fonte de receita para nós, mas a empresa continua explorando isso para seu próprio benefício. (…) Entendo que o esporte precisa ficar bem com uniformes, mas devemos pelo menos ter direito a um mínimo de dois patrocinadores aprovados no octógono”, explicou.Além disso, Francis Ngannou comentou que deixou de ganhar uma grande quantia financeira por uma regra do UFC. De acordo com ele, uma empresa do mercado financeiro não fechou um contrato por ser rival de um patrocinador do UFC.“No ano passado, perdi um acordo de mais de US $1 milhão com uma empresa de criptomoedas por causa da parceria com a CRYPTO.COM. O que eu ganhei com isso?”, completou.Ngannou estreou no maior evento de lutas do mundo em 2015, e desde lá tem 12 triunfos, sendo o 10º por nocaute. Por fim, vale lembrar que o camaronês é campeão do peso-pesado desde de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *