GDGSttmXUAAViB8
Automobilismo

Rally Dakar 2024: Confira como foi o prólogo da 46ª edição da competição

Nesta sexta-feira (5), tivemos o início da 46ª edição do mais extenso rali da categoria, o Rally Dakar 2024. Disputado em solo árabe desde 2020, este evento conta com seu terceiro roteiro diferente no terceiro ano consecutivo cruzando a Arábia Saudita.

Com uma quantidade recorde de 17 brasileiros entre pilotos e navegadores, o Rally Dakar deste ano conta com o expressivo número de 778 participantes, representando um total de 78 nacionalidades. A etapa de hoje foi o prólogo, que contou com 27 km de bateria cronometrada (a chamada “especial”) e 130 km de deslocamento, sendo toda ela percorrida dentro do perímetro de Al Ula.

Dentre as categorias de veículos fechados (Carros da categoria Ultimate, Stock, Challenger, SSV e Truck), os tempos da especial do prólogo não contarão para a classificação geral. No entanto, isso não impediu Mattias Ekstrom e Emil Bergkvist de cravarem o melhor tempo de especial entre os carros, com um sólido 16:30, seguidos pela dupla estreante nas categorias principais, Seth Quinteiro e seu co-piloto Dennis Zens, e o multicampeão do WRC e atual bicampeão vice-campeão do Rally Dakar, Sebastian Loeb, que sempre é acompanhado por Fabian Lurquin.

Destaque também na quarta e quinta posições, vêm duas duplas de brasileiros, sendo elas Marcos Baumgart e Kleber Cincea na quarta posição, e Cristian Baumgart junto de Alberto Andreotti. As duas duplas representam a mesma equipe, a X-Rally Team, que tem os dois irmãos como proprietários.

Confira os resultados dos outros brasileiros no Rally Dakar:

  • 16º Lucas Moraes / Armand Monleon (ESP) (Toyota Gazoo Racing) (Mesma posição na categoria Ultimate)
  • 62º Cristiano Batista / Fausto Mota (ESP) (SOUTH RACING CAN-AM) (4º na categoria SSV)
  • 63º Rodrigo Varela / Enio Bozzano Junior (Team BBR) (5° na categoria SSV)
  • 72º Marcelo Gastaldi / Carlos Sachs (Team BBR) (18º na categoria Challenger)
  • 86º Austin Jones (USA) / Gustavo Gugelmin (Can-Am Factory Team) (24° na categoria Challenger)
  • 90º Oscar Peralta (PAR) / Lourival Roldan (South Racing Can-Am) (26° na categoria Challenger)
  • 118º Jorge Wagnernfuhr / Humberto Ribeiro (Xtreme Plus – CST – Polaris) (20° na categoria SSV)
  • 129º Gunter Hinkelmann / Fabricio Bianchini (Team BBR) (36º na categoria Challenger)

Nas categorias de veículos abertos (Rally GP, Quad e Rally2), os tempos do prólogo entram para a somatória total do tempo de trajeto. Isso foi um incentivo a mais para o espanhol Tosha Schareina da Monster Energy Honda Team, que cravou o tempo de 17:35, 12 segundos à frente de Daniel Sanders com sua Red Bull Gas Gas Factory Racing. Para completar o pódio, tivemos Ross Branch, piloto da Hero Motorsports Team Rally. Lembrando que os três pilotos são da categoria principal, a Rally GP.

O nosso único representante brasileiro nos veículos abertos é o experiente Marcelo Medeiros, que pilota na Quad representando a equipe Taguatur Racing Team. Marcelo fez um tempo bom o suficiente para deixá-lo na 63ª posição, 7º em sua categoria, e mais uma vez ficando em uma posição razoável para emplacar o quarto Top-10 seguido da sua categoria.

Este ano, mais uma vez contamos com a categoria Classic, que é uma categoria que inclui veículos de todas as categorias já existentes no Dakar. Esses veículos não seguem necessariamente o mesmo trajeto dos carros atuais, e aqui o tempo é menos importante; a classificação dá-se pela qualidade e precisão da navegação.

A atual dupla campeã formada por Juan Morera e Lidia Ruba lidera o prólogo a bordo de seu nostálgico Porsche 959 da equipe Moma Bikes Raid Team, que fez questão de manter a pintura original da época da Rothmans Porsche.

O Rally Dakar tem seu primeiro “real” estágio amanhã, de Al Ula até a cidade de Al Hinakiyah, uma etapa de 541 km, dividida em 127 km de deslocamento e 414 km de estágios cronometrados.

(Foto: Twitter Yazeed Racing)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *