Gustavo Scarpa Atlético
Futebol Brasileirão

Scarpa acredita em ressarcimento de William após golpe milionário de empresas ligadas ao ex-colega

O meio-campista do Atlético Mineiro, Gustavo Scarpa, em entrevista a Rádio Itatiaia nesta terça-feira (20), comentou sobre o caso das criptomoedas no qual processa o ex-colega de Palmeiras e atualmente jogador do Santos, William ‘Dubgod’. Ao ser questionado sobre o assunto durante o bate-papo realizado na noite de ontem, o atleta não escondeu que o processo envolve William e empresas ligadas ao jogador do Peixe, e que desde o início das investigações não recebeu mais retorno do ex-companheiro de equipe.

Scarpa também relatou que o andamento do processo está muito favorável a ele para que haja o devido ressarcimento e que não voltou ao futebol brasileiro apenas interessado em acompanhá-lo de perto. O jogador do Galo move a ação junto do também ex-Palmeiras, Mayke, lateral que também investiu dinheiro e acabou sofrendo golpe financeiro superior a R$ 10 milhões. Apesar de ter uma empresa em seu nome envolvida no caso, a WLJC Consultoria, William afirma também ter sido vítima do esquema de criptomoedas relatado e denunciado pelos jogadores anteriormente citados, e que se encontra constrangido com o episódio.

De acordo com o processo que envolve Gustavo Scarpa, William, sua empresa WLJC Consultoria, e o lateral Mayke, utilizando o nome do atacante santista, a empresa de criptomoedas Xland Holding Ltda, prometeu retorno financeiro de 3,5% a 5% ao mês conforme o investido pela dupla no mercado, porém, o percentual de regresso é considerado alto para os padrões da bolsa. E ao tentar recuperar o investimento, estimado em R$ 6,3 milhões somente pelo meio-campista atleticano em boletim de ocorrência, Scarpa e Mayke receberam uma negativa da Xland, e acabaram pedindo auxílio de William para que houvesse o devido ressarcimento, mas, segundo o próprio, ele também foi vítima da companhia e estima ter perdido no negócio, R$ 17 milhões.

Aspas de Gustavo Scarpa sobre o caso das criptomoedas em entrevista a Itatiaia:

“Assim, não sei se falei com essas palavras, mas não foi um dos motivos de eu ter voltado. Depois de ter acertado a minha volta, olhei com bons olhos (acompanhar de perto). Não teve nenhum contato.”

“Desde quando avisei que iria entrar com processo, ele (William) parou de me responder. Já tive várias decisões favoráveis no processo. Mas estão faltando passos burocráticos, que levam certo tempo. O andamento do processo está muito favorável. Não é para menos. Acredito muito que serei ressarcido de toda a grana que perdi. Nada mais que justo. Aguardando e em cima do advogado. É contra o William, contra a empresa do William, contra a empresa de criptomoedas.”

Conforme o caso avançou na Justiça, o relacionamento entre os envolvidos no processo é considerado nada amigável como antes, e Scarpa através de seus advogados, para recuperar o dinheiro perdido no golpe, tentou bloquear 30% do salário recebido por William em seu atual time, o Santos Futebol Clube, porém, teve o pedido negado e aguarda o desenrolar da ação que corre nos tribunais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *