Fluminense Vasco
Futebol Brasileirão

Vasco protesta contra arbitragem após clássico no Carioca

O Vasco protestou bastante em relação à arbitragem do clássico diante do Fluminense, válido pela oitava rodada do Campeonato Carioca. O clássico terminou sem gols no Maracanã, mas acabou ficando marcado por diversas polêmicas envolvendo o apito do jogo.

Na entrevista pós-jogo, o diretor Alexandre Mattos disse que o clube está sendo prejudicado de forma sistemática no estadual. O atacante Vegetti e o auxiliar técnico Emiliano Díaz também reclamaram muito sobre o nível do apito no Maracanã.

A reclamação vascaína em seis atos

  1. 1T 49′: Após cobrança de escanteio, Vegetti caiu dentro da área e o árbitro não marcou possível pênalti de Felipe Melo, nem esperou a consulta do VAR
  2. 2T 1′: Davi recebeu lançamento de Paulo Henrique e tocou na saída de Fábio, mas o lance foi anulado por impedimento assinalado pelo auxiliar. O Vasco reclama do ângulo utilizado pelo VAR no gol anulado.
  3. 2T 22′: Thiago Santos e Medel receberam cartão vermelho após troca de empurrões antes de cobrança de escanteio, enquanto Arias, Ganso, André, Vegetti e João Victor receberam cartões amarelos. O Vasco alega que André deveria ter sido expulso por empurrão contra João Victor.
  4. 2T 37′: Payet cobrou falta frontal e Germán Cano teria levantado os dois braços na direção do rosto dentro da área. O Vasco pediu pênalti no lance, o VAR revisou e a marcação de escanteio foi mantida.
  5. 2T 52′: Vegetti teria sido segurado por Guga dentro da grande área após cobrança de escanteio. O Vasco pediu pênalti neste lance.
  6. 2T 54′: O atacante Vegetti marcou o gol de empate no último lance do jogo, mas o árbitro Bruno Mota Correia apontou falta do atacante no lance. O Vasco alega que a marcação foi ilegal.

Aspas de Alexandre Mattos, diretor do Vasco

” Muito ruim vir falar de arbitragem. O Vasco vem evitando, está fazendo o caminho, o protocolo, o processo de acordo, com muita tranquilidade, muita educação, só que é o quarto jogo seguido. Fui agora ver as imagens do VAR, escutar o que se passou a toda comissão, os quatro, cinco ou seis profissionais, e entendem que foi pênalti. A bola passaria, então uma ação de defesa, por isso que chamaram, e só ele acha que o braço estava colado ao corpo. Já tivemos episódios contra o Bangu, Nova Iguaçu, Flamengo, hoje. O Vasco era para estar na situação talvez liderando o campeonato, e perde por questões de arbitragem. Então o que a gente pede é, vai tirar mais um do campeonato?”

“Quando eu cheguei aqui, me falaram que eu iria ver como o Vasco é muito prejudicado, a gente começa a achar se será isso mesmo, e infelizmente eu estou vendo a dificuldade que o Vasco tem no Campeonato Carioca. Um pouco de má vontade, um pouco de incompetência, um pouco de histórico negativo, mas já está demais, quarto jogo seguido que o Vasco está sistematicamente prejudicado. Não vamos tapar peneira, as coisas que temos que melhorar, o Vasco está melhorando, vem trabalhando, mas já vou antecipar, o Vasco não vai mais em federação (FERJ) disputar, pra quê? Chega lá, as pessoas te recebem muito bem, a gente aceita de maneira bastante educada, bastante positiva pra tentar ajudar e contribuir com colocações e com aquilo que os clubes pensam.”

Nota oficial do Vasco

“É REVOLTANTE presenciar mais um espetáculo MANCHADO por mais uma arbitragem, pela quarta vez consecutiva, no mínimo, de baixíssima qualidade e QUESTIONÁVEL.

É VERGONHOSO assistir o gramado de um importante templo do futebol em condições PÍFIAS de conservação e manutenção por seus INCOMPETENTES administradores.

É LAMENTÁVEL assistir a decadência de um campeonato que já foi, e tinha tudo pra ser, o maior do Brasil.
Uma quarta-feira para ficar nas cinzas da história do futebol.

O Vasco da Gama ingressará com medida e solicita à FERJ, entre outras exigências, a suspensão de mais um árbitro do campeonato, o senhor Bruno Mota Correia.

Solicita também o envio pela FERJ dos relatórios da empresa contratada para analisar a arbitragem de todos os jogos do Vasco no campeonato.

Solicita uma ação imediata em resposta aos problemas crônicos com arbitragens questionáveis no campeonato. É urgente a tomada de ações efetivas e imediatas e não mais de reuniões e promessas.

Resistiremos. Contra tudo e contra todos.”

Imagem: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *