Ramon Diaz, novo técnico do Corinthians
Futebol Brasileirão

Vasco: Prioridade de Pedrinho, volta de Ramón Díaz não é consenso interno no clube

Cotado para reassumir o Vasco após a curta passagem de Álvaro Pacheco sob o comando técnico, Ramón Díaz possui o status de preferido de Pedrinho, porém, enfrenta resistência dentro do clube. Junto da diretoria, o presidente vascaíno busca resolver o impasse interno antes de avançar em negociações com o argentino.

Um dos principais responsáveis pela campanha que livrou a equipe do rebaixamento no último Brasileirão, Ramón é o nome escolhido por Pedrinho em razão dele já conhecer o elenco e não deseja contratar um treinador que precise se adaptar ao time, assim como precisou passar Álvaro Pacheco, demitido na última quarta-feira. Com a saída do português, o argentino evidenciou sua vontade de regressar ao Vasco e o coloca à frente de outras opções, como os brasileiros Mano Menezes e Felipão.

Ramón Díaz, ainda técnico do Vasco
Ramón Díaz em coletiva de imprensa quando era treinador do Vasco — Foto: Leandro Amorim/Vasco

Cotado para voltar ao Vasco, treinador tem apoios no elenco

Com o nome ventilado a retornar para o Gigante da Colina, Ramón Díaz tem encontrado apoio de alguns líderes do elenco e possui boa relação. Na noite de sábado, logo depois da vitória vascaína sobre o São Paulo, atletas deixaram São Januário e foram direto para a festa de aniversário de Emiliano Díaz, filho e auxiliar técnico do argentino. O atacante Vegetti, o zagueiro Maicon e o volante Zé Gabriel estavam entre os presentes.

Apesar do certo favorecimento de alguns jogadores a sua volta, outros já demonstram negativa ao treinador, demitido em abril logo depois de uma derrota por 4 a 0 para o Criciúma no Maracanã. Ramón Díaz teve problemas com atletas sobretudo ao final de sua passagem e Pedrinho tem buscado ouvir as frentes envolvidas num possível retorno.

Apontado como técnico “paneleiro”, o argentino gerou uma série de incômodos no elenco do Vasco a partir do momento que escalou mais estrangeiros do que brasileiros no time. Como exemplo, o paraguaio Rojas recebeu mais chances do que João Victor na defesa durante o período de Ramón como treinador da equipe.

Além disso, também pesa contra ele e Emiliano o tratamento dado ao então atleta da equipe Gary Medel, quando este se comportou inúmeras vezes de forma desrespeitosa com colegas e funcionários do clube. O chileno, atualmente no Boca Juniors, demonstrou arrogância com trabalhadores do Vasco e chegou a agredir um atacante da base durante a concentração do time numa partida do Carioca, mas permaneceu capitão e titular na equipe. Depois da saída de Ramón, Medel perdeu espaço, foi isolado pelo elenco e enfim se transferiu para o futebol argentino.

A crise iniciada no Vasco desde a demissão de Ramón Díaz e logo depois de Álvaro Pacheco pelos resultados negativos se amenizou na noite do último sábado após a goleada sobre o São Paulo, com a equipe comandada pelo auxiliar Rafael Paiva. A vitória com placar maiúsculo em São Januário deu um respiro ao time na tabela do Campeonato Brasileiro e dá mais tempo para Pedrinho e sua diretoria definir um novo treinador.