Novak Djokovic Wimbledon
Tenis Notícias Wimbledon

Wimbledon, dia 2: confira o melhor da chave masculina do torneio

Nesta terça-feira (2), tivemos mais um grande dia da chave masculina em Wimbledon, com a estreia de mais favoritos ao título e algumas surpresas. Enquanto Novak Djokovic, Alexander Zverev e Holger Rune conquistaram boas vitórias, Andrey Rublev continuou a sua temporada inconsistente e foi derrotado na primeira rodada.

Confira o melhor do segundo dia da chave masculina em Wimbledon:

Djokovic não dá chances em retorno

Depois de uma série de dúvidas quanto à sua participação em Wimbledon, Djokovic demonstrou estar totalmente recuperado da artroscopia no joelho direito, realizada há menos de um mês. Nesta terça-feira, o sérvio estreou no Grand Slam britânico com uma vitória convincente sobre o qualifier tcheco Vit Kopriva, número 123 do ranking, vencendo por 6/1, 6/2 e 6/2 em 1h58 de confronto.

Djokovic, firme no saque, teve uma performance quase perfeita na primeira parcial. Ele venceu 16 dos 17 pontos disputados em seu serviço, marcou quatro aces e não cometeu uma única dupla falta. Além disso, Djokovic foi implacável nas subidas à rede, vencendo os três pontos em que arriscou essa jogada, e terminou a parcial com o triplo de winners em comparação ao adversário (12 a 4), além de menos erros não forçados (5 a 7). Com esse desempenho, bastou ao sérvio aproveitar dois dos sete break points que teve a seu favor para abrir uma vantagem confortável e fazer 1 a 0 no jogo.

A segunda parcial seguiu a mesma dinâmica, com Djokovic dominando as ações e as estatísticas: 3 a 1 em aces, 10 a 9 em bolas vencedoras e 6 a 10 em erros não forçados. Embora tenha perdido três pontos no saque em 19 jogados, Djokovic continuou sem oferecer chances de quebra ao adversário e concretizou dois breaks para derrotar Kopriva. O heptacampeão de Wimbledon ainda teve um desempenho superior em seis das sete subidas à rede, cometendo apenas uma dupla falta, mesmo número que o tcheco.

No terceiro set, a partida mostrou maior equilíbrio, pelo menos nos primeiros quatro games. No quinto game, porém, Djokovic voltou a pressionar o saque de Kopriva e conseguiu a quebra, abrindo caminho para uma vitória tranquila em sets diretos. O sérvio quebrou o serviço do adversário novamente no sétimo game e, em seguida, sacou para confirmar a classificação. Apesar de o tcheco ter terminado essa parcial com mais winners do que Djokovic (12 a 10), ele também cometeu mais erros (13 a 5) e duplas faltas (2 a 1), enquanto Djokovic marcou mais aces (3 a 1).

Agora, Djokovic se prepara para enfrentar o britânico Jacob Fearnley, que venceu Alejandro Cañas na primeira rodada.

Rune vence e encara Wild na segunda rodada

Cabeça de chave número 15 em Wimbledon, o dinamarquês Holger Rune confirmou seu favoritismo ao vencer sua estreia no torneio nesta terça-feira. Rune derrotou o sul-coreano Soonwoo Kwon em sets diretos, com parciais de 6/1, 6/4 e 6/4, após 1h38 de confronto. Na segunda rodada, ele terá pela frente o brasileiro Thiago Seyboth Wild, em um duelo inédito.

Wild chega embalado após conquistar a maior virada de sua carreira, saindo de um 2 a 0 contra para vencer. Este será o 11º confronto de Wild contra um top 20, nos quais ele possui quatro vitórias e seis derrotas. Em Grand Slams, Wild enfrentou dois adversários deste nível, surpreendendo Daniil Medvedev no ano passado em Roland Garros e sendo derrotado por Andrey Rublev neste ano na Austrália.

Holger Rune demonstrou solidez em sua estreia contra Kwon, disparando 30 bolas vencedoras e cometendo apenas 16 erros não forçados. Em contraste, o sul-coreano teve dois erros não forçados a mais e dez winners a menos. O saque também foi um diferencial para o dinamarquês, que não enfrentou nenhum break-point e venceu 82% dos pontos disputados, incluindo 16 aces.

Zverev vence e avança

Tentando aproveitar o bom momento no circuito para fazer bonito em Wimbledon, o alemão Alexander Zverev deu um firme primeiro passo nesta edição do torneio. Na estreia desta terça-feira contra o espanhol Roberto Carballes, ele foi sólido com o saque e venceu sem sustos, batendo o rival em sets diretos, com parciais de 6/2, 6/4 e 6/2, após 1h54 de jogo.

No passado, o germânico também sofreu derrotas para tenistas com ranking inferior ao de Carballes em Wimbledon, como Denis Kudla (105º), na segunda rodada de 2015, e Ernests Gulbis (138º), na terceira rodada de 2018. Na segunda rodada, Zverev enfrentará o vencedor do duelo entre o convidado da casa Henry Searle e o estadunidense Marcos Giron.

O alemão demonstrou um saque afiado em sua estreia em Wimbledon, anotando 18 aces e vencendo 80% dos pontos disputados, sem sofrer uma quebra sequer e salvando os cinco break-points que enfrentou. Ele adotou uma postura agressiva e foi recompensado, terminando o jogo com quase três vezes mais bolas vencedoras que Carballes (46 a 17) e apenas seis erros não forçados a mais (27 a 21).

Rublev e Korda são surpeendidos

O torneio de Wimbledon deste ano já começou a trazer surpresas e reviravoltas emocionantes. O russo Andrey Rublev, que vinha em um momento de intensos altos e baixos, foi eliminado logo na estreia. Defendendo as quartas de final do ano passado, Rublev parou diante do argentino Francisco Comesana, número 122 do ranking, com parciais de 6/4, 5/7, 6/2 e 7/6 (7-5). Aos 23 anos, este é o primeiro Grand Slam da carreira de Comesana, que pode ter um compatriota como próximo adversário, caso Federico Coria vença o convidado Adam Walton.

Enquanto Rublev decepcionou, o francês Giovanni Perricard aproveitou ao máximo sua segunda chance em Wimbledon. Apesar de ser o 58º do mundo, Perricard precisou disputar o qualificatório e perdeu na rodada decisiva. No entanto, ele entrou no torneio pela desistência de outro jogador e obteve uma grande vitória nesta terça-feira contra o número 20, o norte-americano Sebastian Korda, em um jogo disputado em quatro tiebreaks. Após 3h21 de jogo, Perricard saiu vitorioso com parciais de 7/6 (7-5), 6/7 (4-7), 7/6 (8-6), 6/7 (4-7) e 6/3.