Brasileirão - Ednaldo Rodrigues CBF
Futebol Brasileirão

CBF deve acatar pedido de paralisação do Brasileirão, mas presidente alerta sobre calendário

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, abordou o pedido de paralisação do Campeonato Brasileiro feito por 13 clubes e esclareceu que a entidade irá acatar a decisão dos clubes, porém, ressaltou os possíveis impactos dessa medida no calendário e na economia do futebol brasileiro.

Esta foi a primeira manifestação do dirigente desde que os clubes solicitaram a interrupção do torneio. Rodrigues afirmou que as decisões serão discutidas no Conselho Técnico da CBF convocado para o dia 27 de maio.

“Primeiramente, reitero nossa solidariedade ao povo do Rio Grande do Sul diante das adversidades que enfrentam. Em relação ao pedido de paralisação, é crucial que ouçamos todos os clubes para tomarmos uma decisão. Isso envolve questões como o calendário, classificação para competições sul-americanas e até mesmo a Intercontinental, caso um clube brasileiro vença a Libertadores.

Não é uma decisão simples. No entanto, somos uma entidade democrática. Após apresentarmos todos esses pontos para os clubes deliberarem, não tenho o poder de ir contra [a vontade dos clubes], pois nossa gestão é pautada na democracia. Vamos expor os aspectos contraditórios dessa paralisação, mas iremos respeitar a decisão dos clubes”, destacou o presidente da CBF.

O presidente da CBF enfatizou a complexidade das questões envolvidas e a importância de uma abordagem cautelosa para equilibrar as necessidades dos clubes e a estabilidade das competições.

“Temos um calendário difícil, e a paralisação pode tornar tudo ainda mais difícil,” declarou Ednaldo.

A disputa entre os times gaúchos e a CBF

Desde que a tragédia tomou essas proporções, os times gaúchos estão advogando por um adiamento do campeonato, e isso voltou a ser pauta para o presidente do Grêmio, Alberto Guerra. O mandatário afirmou que pelo menos duas rodadas do Brasileirão devem ser adiadas para ter equilíbrio técnico.

“O Grêmio também entende que duas ou três rodadas deveriam ser adiadas para ter um mínimo de equilíbrio técnico,” disse Guerra.

A Liga Forte União recentemente lançou um comunicado apoiando a paralisação do Brasileirão. Isso quer dizer que pelo menos 13 clubes são a favor dessa parada: Athletico, Botafogo, Cruzeiro, Internacional, Fortaleza, Vasco, Criciúma, Juventude, Fluminense, Atlético-GO, Cuiabá, Grêmio e Atlético-MG. Desses, apenas dois deles se mostraram contrários inicialmente.

Grêmio e Internacional continuam sem atividades marcadas, e ainda não querem sair de Porto Alegre, mesmo com alguns clubes oferecendo as suas instalações para os treinamentos. Menos afetado pelas fortes chuvas, o Juventude retoma os seus treinos pensando na sequência do Brasileirão. Você pode fazer a sua doação para o Rio Grande do Sul clicando neste link.

(Foto: Ednaldo Rodrigues – Brasileirão)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *