Rogério Ceni, Bahia
Futebol Copa do Brasil

Ceni enaltece reservas após triunfo do Bahia fora de casa contra o Criciúma: “Fazem a diferença”

Após vencer o primeiro jogo em Salvador, o Bahia foi à Santa Catarina carregando a vantagem embaixo do braço, e não mediu esforços para mantê-la diante do Criciúma no Heriberto Hülse na partida de volta da terceira fase da Copa do Brasil. A equipe de Rogério Ceni até então atuando de forma tímida no encontro com os catarinenses fora de casa se encontrou na reta final do jogo e conquistou um novo triunfo com gols de De Pena e Jean Lucas, e confirmou sua passagem para as oitavas de final da competição nacional.

Ao final da partida em Criciúma, Ceni concedeu entrevista coletiva ressaltando que o Bahia soube sofrer diante do adversário que lhe impôs dificuldades em seus domínios, e teve sua pressão anulada a partir da entrada de reservas do tricolor nos instantes finais do jogo. Ele relembrou a atuação diante do Botafogo pelo Campeonato Brasileiro, e sobre como a oportunidade de colocar jogadores de características diferentes muda o comportamento da equipe a cada novo desafio.

Contra o Botafogo já tinha sido assim, a gente troca a linha de frente e tem oportunidade de colocar jogadores com características diferentes. Biel, Ademir, De Pena. É uma pena que a gente não consiga dar mais minutos para eles. Acho que todos entraram bem. O Rezende ofereceu um pouco mais de sustentação, ajudou nos cruzamentos, que foi a arma do Criciúma na parte final. Fico feliz que todos estejam bem, são esses minutos que fazem a diferença. É um time talhado para isso, com vocação ofensiva. Quando pegamos um campo bom, como foi hoje, vamos jogar melhor. Soubemos sofrer, o que é normal. Quem vier aqui vai passar por isso.

Rogério Ceni pontuou também sobre a força que o Criciúma possui dentro do Heriberto Hülse, com o apoio da torcida, mas que o Bahia conseguiu atingir o seu objetivo após um grande sofrimento para administrar a vantagem obtida na Arena Fonte Nova, no primeiro encontro entre as equipes na terceira fase. O Tricolor de Aço havia vencido o primeiro jogo em Salvador por 1 a 0, com gol de Thaciano.

Sempre é complicado jogar aqui, pressão da torcida. Sofremos, mas no final levamos a classificação para as oitavas e atingimos nosso objetivo.”

O que mais disse Rogério Ceni após Criciúma e Bahia?

Rogério Ceni aproveitou a entrevista coletiva para esclarecer suas escolhas com relação ao setor ofensivo do Bahia, que sem Everaldo, contou com Rafael Ratão desde o começo, e o uruguaio De Pena entrando nos minutos finais do jogo. O treinador falou sobre ambos e destacou que além da briga sadia entre os atletas por posições no time, os jogadores têm feito a diferença positivamente em favor do tricolor dentro de campo.

Depende do caráter, depende de como as pessoas encaram o dia a dia. Esse grupo é fantástico de trabalhar. Claro que tem concorrência. Hoje não tivemos o Everaldo, e pensamos muito sobre quem utilizar. O Ratão entrou e ajudou bastante na marcação. Claro que todos querem jogar. Mas são todos jogadores de caráter, isso que é importante.”

De Pena, Bahia
De Pena comemora o primeiro dos dois gols do Bahia diante do Criciúma pela Copa do Brasil — Foto: Tiago Caldas/EC Bahia

De Pena jogou 20 minutos e foi figura central na classificação. Tem o desejo pessoal e o desejo do grupo. Cada um vai ser útil no momento certo. O importante é que eles têm entrado e feito a diferença nos finais dos jogos”.

Classificado para as oitavas de final da Copa do Brasil, o Bahia aguarda o sorteio do mata-mata a ser realizado pela CBF, para conhecer seu adversário na sequência da competição. Enquanto isso, a equipe volta suas atenções para o também classificado para as oitavas CRB, que enfrenta o tricolor baiano nas semifinais da Copa do Nordeste neste domingo, às 18h (de Brasília), em duelo na Arena Fonte Nova.

Foto: Tiago Caldas/EC Bahia. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *