Corinthians
Futebol Brasileirão

Corinthians: FIFA agenda julgamento de clube com Matías Rojas, que tem mais de R$ 40 milhões em jogo

A FIFA agendou para a última semana deste mês a audiência que define, de uma vez por todas, a disputa entre o Corinthians e o seu ex-atleta, o meia paraguaio Matías Rojas. A entidade já encerrou a fase de investigação, tendo recebido as alegações das duas partes e a sentença deve ser proferida dias depois, com previsão para a primeira semana de julho.

Atualmente no Inter Miami, dos Estados Unidos, Rojas moveu em março uma ação contra o clube paulista cobrando US$ 8 milhões, cerca de R$ 42 milhões na cotação atual. O valor soma todos os salários, direitos de imagens e outras quantias que constavam no contrato, que tinha validade até julho de 2027.

Caso seja condenado pela FIFA, além de pagar indenização ao atleta, o Corinthians pode sofrer punições disciplinares. Contratado pelo alvinegro no ano passado, Rojas se enquadra no “período protegido” da entidade, que são as três primeiras temporadas do acordo. Em caso de rompimento unilateral, prevê a aplicação de sanções desportivas a clubes que cometerem justa causa para rescisão, como a falta de pagamento ao atleta por período superior a dois meses.

Uma dessas punições é a aplicação de “transfer ban”, proibindo o registro de novos jogadores. No “período protegido”, ela é aplicada mesmo se o clube pagar a dívida. O fato de ser réu primário nesse tipo de caso (as condenações recentes foram contra clubes) ajuda e muito o Corinthians.

 

O CASO MATÍAS ROJAS E A RESPOSTA DO CORINTHIANS

Então camisa 10 do Timão, Matías Rojas pediu o rompimento unilateral do contrato por justa causa, alegando que o clube pagou a primeira parcela do acordo feito em janeiro, mas não quitou a de fevereiro. A dívida é referente a direitos de imagem de 2023, inicialmente no valor de R$ 5 milhões.

Na visão do paraguaio, esta inadimplência o respaldou para pedir o encerramento do contrato, mediante ao pagamento integral dele. Rojas se vê amparado pelo acordo firmado no início deste ano, no qual o clube reconheceu a dívida com ele. O documento previa o rompimento em caso de atraso de qualquer parcela.

Em entrevista recente ao canal do jornalista Benjamin Back, no YouTube, o presidente do Corinthians, Augusto Melo, afirmou que o ex-diretor de futebol, Rubens Gomes, errou na condução do caso:

“Estávamos em Maringá e, de repente, estoura a cobrança do Rojas. Ele (Rubão) diz: “Falei com o empresário do jogador e pode pagar dia 5”. Então fiquei tranquilo. Quando a gente volta para São Paulo, vem o advogado e fala: “O Rojas foi embora”. Como não pagou? Aí eu ligo para o empresário do Rojas, que me disse que estava há mais de dez dias tentando falar com o Rubão, e ele não deu satisfação” – declarou Augusto Melo.

“Aí eu vim para o CT e falei: “Rubão, você falou com o empresário do jogador?”. “Falei. Ele só fala em dinheiro”. Abri o celular e falei: “Você está mentindo”. Ele é mentiroso. Foi aí que perdeu totalmente a confiança”.

Em dezembro, na gestão do então presidente Duílio Monteiro Alves, Rojas notificou formalmente a diretoria sobre os atrasos e as consequências da falta de pagamento, transferindo para a gestão de Augusto Melo, encabeçada desde 2 de janeiro. Dias depois, um acordo foi fechado.

(Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *