celtics dallas jogo 3
Basquete Jogos NBA

Com Doncic expulso, Boston vence Dallas no jogo 3 e se aproxima do título

Nesta quarta-feira (12), o Dallas Mavericks recebeu o Boston Celtics na American Airlines Arena para a disputa do jogo 3 das finais da NBA. Com a equipe da conferência leste liderando por 2 a 0, os texanos entraram em quadra com a necessidade de dar uma resposta em frente à sua torcida, sabendo também que o time celta teria um desfalque importante: Kristaps Porzingis. E sem sombra de dúvidas, a equipe de Jason Kidd teve sua melhor performance nas finais até o momento.

Porém, Boston, mesmo com uma atuação um pouco abaixo do normal, saiu de quadra com a terceira vitória na série. Kyrie foi fantástico, mas Luka Doncic acabou expulso em um momento crucial da partida após fazer sua sexta falta. Jaylen Brown interrompeu uma excelente recuperação dos Mavs no último período e selou a vitória para sua equipe, que coloca uma mão na taça.

Começo dos sonhos de Dallas, final com “choque de realidade” celta

Impulsionados pela torcida ensandecida na American Airlines Arena, os Mavericks começaram o confronto a todo vapor. O time de Jason Kidd aproveitou posses desperdiçadas da equipe celta e não perdoou na transição, forçando Joe Mazzulla a pedir um timeout com apenas dois minutos de jogo. Desde o início, a franquia texana conseguiu manter uma vantagem de aproximadamente 10 pontos no placar, vendo a diferença cair apenas no fim do período.

De início, a defesa celta pareceu bem desligada. Luka Doncic usou seu físico para tentar infiltrações e conseguiu ganhar espaço de Tatum no garrafão sem muito esforço – e em pelo menos duas jogadas, ninguém apareceu para ajudar na marcação. E pelo outro lado, tudo deu certo para Dallas. Doncic doutrinou a defesa adversária com 13 pontos no período e Irving também teve ótima contribuição, chegando a inclusive anotar sua primeira cesta de três nas finais (!).

Sem Porzingis, Xavier Tillman ganhou minutos pelos Celtics – algo que claramente deixou a defesa da equipe ainda mais exposta nas transições rápidas de Dallas. Mas Boston não mudou a mentalidade que carregou durante toda a temporada: viva e morra pela bola de três. Aos poucos, o time visitante foi diminuindo a vantagem no placar (com Tatum tendo seu melhor início de partida nas finais) e passou a se sentir mais confortável em quadra, conseguindo também “frear” Luka em algumas posses.

Com uma corrida de 11-0 de Boston, a diferença diminuiu para apenas cinco pontos e American Airlines Arena parecia ter perdido um pouco de sua vibração – até Dante Exum reascender a torcida texana com uma enterrada incrível para encerrar a sequência de pontos do time adversário. Além de Exum, Tim Hardaway Jr. passou a ganhar minutos consideráveis em quadra – uma mudança importante de Jason Kidd na rotação da equipe, já que além de Luka, praticamente nenhum atleta de Dallas mostrou capacidade de converter bolas de três pontos contra a boa marcação celta.

Disputa intensa e Kyrie brilhando

O primeiro quarto se encerrou com uma diferença de apenas um ponto no placar (31 – 30), mas logo no início do segundo período, a equipe visitante virou. Luka ficou “frio” em quadra e errou seis field-goals em sequência, deixando o caminho livre para Boston disparar no placar, desta vez, com Tatum sendo o protagonista ofensivo. No entanto, foi a vez de Kyrie Irving aparecer e fazer o que faz de melhor: fazer cestas que ele não deveria conseguir fazer.

Desequilibrado, contestado ou sem espaço, o armador acertou três bolas fantásticas do perímetro e foi responsável pelo início de uma sequência frenética de posses entre as duas equipes na batalha pela liderança mínima. E essa disputa intensa continuou até o fim do período. Dallas viu PJ Washington brilhar e conseguir importantes jogadas no ataque – primeiro com um ótimo passe para Lively enterrar sozinho debaixo da cesta, e depois, buscando um rebote longo e conseguindo a falta que deu a vantagem de um ponto para a franquia texana ao fim da primeira etapa: 51 a 50.

Celtics Basketball e derrocada dos Mavericks

Quem voltou melhor do intervalo foi o time visitante. Movimentando muito bem a bola e forçando a defesa de Dallas a ficar em “rotação” no perímetro, a equipe de Joe Mazzulla também passou a realizar aquilo que foi um verdadeiro diferencial no jogo 2: as infiltrações com passe para o perímetro. Do outro lado, além de Luka e Kyrie, que usaram e abusaram de jogadas de 1 vs 1 no ISO, Dereck Lively também apareceu como uma ótima força física dentro do garrafão, seja no ataque ou na defesa.

Com uma movimentação fantástica de bola, Boston passou a dominar as ações em quadra e chegou a abrir 10 pontos de vantagem. Luka correspondeu no ataque, mas também cabe a crítica: o esloveno não evoluiu absolutamente nada na questão defensiva, e foi um verdadeiro calcanhar de aquiles para sua equipe neste quesito. Além disso, Joe Mazzulla parece ter encontrado uma “solução” para impedir os avanços de Luka usando seu corpo no garrafão: Xavier Tillman. Um atleta que sequer ganhou minutos na pós-temporada, tendo um papel absurdo nas finais e coroando uma ótima atuação no 3º quarto com uma raríssima bola de três.

Em resumo, o terceiro período foi de Boston. Dallas engatou uma sequência terrível no ataque, com uma deficiência clara na criação de arremessos limpos, principalmente após Luka ter ido para o banco no fim do quarto. E quem aproveitou foi Jaylen Brown. Completamente letal da longa e média distância, o ala fechou o período com uma enterrada espetacular na última posse celta, colocando uma diferença de 15 pontos no placar (70 – 85).

Recuperação e desespero: Luka expulso e Jaylen clutch

Logo no início do último quarto, Brown e White converteram duas bolas de três pontos e silenciaram completamente a casa dos Mavericks. Rapidamente, Jason Kidd pediu um timeout e o cenário mudou: as bolas de Boston deixaram de cair e Dallas engatou uma sequência de 12 – 0 com pontos importantíssimos de PJ Washington e Josh Green, diminuindo uma diferença de 21 pontos para 9 em menos de dois minutos. Jaylen Brown quebrou a seca ofensiva de Boston, mas PJ Washington acertou uma cesta de três pontos incrível para incendiar de vez a arena e colocar a franquia texana no jogo novamente.

A sequência negativa de Boston não acabou, com Dallas mostrando um ótimo esforço defensivo, fechando o garrafão rapidamente, antes que as infiltrações resultassem em um passe para fora da área. Kyrie Irving sofreu uma falta de Derrick White em um arremesso de três e converteu os lances-livres, deixando uma diferença no placar que era de 21, em apenas três pontos. As duas equipes passaram um período com dificuldade em converter cestas, até chegar em um ponto crucial do confronto: a sexta falta de Luka Doncic.

Primeiro, o esloveno cometeu sua quinta falta em uma tentativa de roubar a bola de Brown. Depois, Luka tentou cavar uma falta ofensiva ao armar o pivô em um avanço de Brown, mas não estabeleceu seus dois pés no chão, e mesmo após a revisão pedida por Jason Kidd, a decisão da arbitragem se manteve e o astro de Dallas foi expulso do jogo. Mudança total de cenário para o confronto, em um momento em que a atmosfera do jogo estava totalmente à favor do time da casa.

Brown apareceu no clutch-time, acabando de vez com a sequência negativa da equipe no ataque e Derrick White matou a bola de três pontos do jogo, que aconteceu após uma assistência fantástica de Jrue Holiday. Dereck Lively ainda tentou salvar a situação aparecendo bem debaixo do garrafão para aliviar a marcação dupla em Kyrie, mas não adiantou. Com um minuto no relógio, Brown converteu um arremesso fadeaway de meia distância e colocou Dallas na situação de forçar a falta para tentar um milagre. Não deu.

Resultado: (0) Dallas Mavericks 99 – 106 Boston Celtics (3)

Uma mão na taça para o time celta. Houve uma clara desconcentração no último período, atrapalhando o que deveria ser uma vitória maiúscula da equipe. Dallas conseguiu uma recuperação fantástica, e tinha nas mãos a oportunidade de ainda tentar algo nas finais. Mas Luka estragou a chance de sua equipe; infelizmente, é o preço de ser o protagonista. Obviamente os Mavs não estariam aonde estão sem ele, mas é justamente sem ele que Dallas não consegue chegar a lugar algum.

Jayson Tatum teve sua melhor atuação na série, com 31 pontos, 6 rebotes e 5 assistências, mas o destaque da partida foi Jaylen Brown, que é sem dúvidas aquele que lidera a corrida pelo MVP das finais. 30 pontos, 9 deles no último quarto, além de 8 rebotes e 8 assistências. Derrick White teve um começo lento, mas foi importante no segundo tempo: 16 pontos, 5 rebotes e 4 assistências para o armador.

Por Dallas, o destaque foi definitivamente Kyrie Irving, que finalmente chegou para as finais. 35 pontos, com um ótimo aproveitamento na linha de três: 4/6 após não converter nenhum arremesso do perímetro nos dois primeiros jogos. Luka, apesar da expulsão, contribuiu com 27 pontos, 6 rebotes e 6 assistências. PJ Washington foi o terceiro melhor pontuador da equipe texana com 13 pontos, enquanto Lively conseguiu um duplo-duplo com 11 pontos e 13 rebotes.

O jogo 4 será disputado nesta sexta-feira (14), às 21:30 (horário de Brasília), novamente em Dallas.