Jhon Jhon foi um dos destaques da vitória do Palmeiras sobre o São Bernardo - Foto: Cesar Greco / Palmeiras
Futebol

Alvo da torcida, Jhon Jhon é exaltado por Abel: “pode chegar aos melhores do mundo”

Se há uma certeza na comissão técnica do Palmeiras é do talento de Jhon Jhon. Contudo, o meia de 21 anos que chegou ao profissional em 2022 ainda não mostrou todo o seu potencial com a camisa alviverde e se tornou alvo da torcida por ainda não ter marcado gols. Porém, na vitória do Palmeiras fora de casa por 1 a 0 sobre o São Bernardo, nessa quinta-feira (15), o jogador foi bastante elogiado por Abel Ferreria.

Escalado como titular da equipe no Estádio Primeiro de Maio, Jhon Jhon agarrou a oportunidade dada pelo técnico português e foi um dos destaques do primeiro tempo da partida. Mesmo com o Palmeiras não conseguindo furar a defesa adversária na primeira etapa, foram dos pés do camisa 40 que surgiram boas jogadas de ataque. Segundo Abel, o talento de Jhon Jhon pode levá-lo ao nível dos melhores do mundo.

“O Jhon Jhon tem um potencial imenso, não sei aonde ele pode chegar. Ele dribla, assume risco e por isso vai errar passe, mas eu digo para fazer isso. Porque quando esse passe entrar, pode chegar aos melhores do mundo. Às vezes me custa ele ser um pouco amassado, como na Supercopa, em que as pessoas não fazem mínima noção e se escondem atrás de um telefone”, disse o técnico.

Abel se referiu às críticas sofridas pelo jovem meia, que foi duramente criticado nas redes sociais pela torcida e por parte da imprensa nos programas esportivos pelo desempenho abaixo apresentado na final da Supercopa do Brasil, quando entrou no segundo tempo e não conseguiu ajudar o Palmeiras , que terminou derrotado nos pênaltis para o rival São Paulo e ficou com o vice-campeonato.

“Digo para não lerem (noticias e posts), mas os jogadores têm que entender isso. No Palmeiras, idade não conta, a exigência é máxima. É acreditar, porque a gente confia neles. Fico feliz por ter uma equipe jovem, hoje iniciar com cinco ou seis jogadores que estão desde que chegamos ao clube e crescem. Ver o Naves fazendo o jogo que fez, o Fabinho no último jogo, o Jhon Jhon com mais minutos… Gosto de jogadores que arriscam e continuam a trabalhar. Mais cedo ou mais tarde colhemos o que plantamos”, finalizou Abel.

Jhon Jhon foi um dos destaques da vitória do Palmeiras contra o São Bernardo - Foto: Cesar Greco / Palmeiras
Jhon Jhon foi um dos destaques da vitória do Palmeiras contra o São Bernardo – Foto: Cesar Greco / Palmeiras

Números de Jhon Jhon no Palmeiras

Desde que subiu para atuar no time principal do Palmeiras, Jhon Jhon já realizou 40 jogos, sendo titular em apenas sete deles. Os números da Cria da Academia são discretos: nesse período, ele contribuiu com apenas uma assistência, além de não ter balançado as redes.

No entanto, as chances de Jhon Jhon com Abel Ferreira vêm aumentando em 2024. Opção imediata a Raphael Veiga no setor de armação da equipe, o meia esteve presente em todos os oito jogos feitos pelo Palmeiras no ano (apenas Aníbal Moreno também atuou nas oito partidas), sendo titular em dois deles.

Estêvão e Flaco López

O triunfo sobre o São Bernardo também marcou a primeira assistência do garoto Estêvão, de 16 anos, no time profissional, logo em sua quarta partida no time de cima. Outro que conquistou uma marca importante foi o centroavante argentino Flaco López, autor do gol que garantiu mais três pontos ao Verdão no Paulistão e a artilharia da competição com cinco gols (marcados de forma consecutiva nas últimas cinco partidas).

Ambos receberam elogios de Abel Ferreira, mas o técnico também fez questão de falar sobre o cuidado que se deve ter em relação aos dois jogadores para não permitir que a pressão prejudique o desempenho deles.

Se calhar, amanhã já vão falar que o Estêvão, não o Messinho (como Estêvão era chamado na base), é o melhor do mundo. Depois vem um jogo em que vai menos bem… paciência. Tem potencial tremendo, temos de ter cuidado com ele. Tudo em volta ao jogador cria uma pressão”, falou Abel.

Sobre o López, já quero já por gelo aqui. Sempre falei que é preciso tempo e paciência para todos os jogos. Aqui no Palmeiras temos (como exemplo) o Zé Rafael, o Veiga… O Veiga hoje é ídolo, mas foi completamente amassado, queimaram camisolas (camisetas). Eles têm isso na memória deles, eles sabem o que é ser cruel”, disse o técnico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *