SAMPAOLI
Futebol

Jorge Sampaoli fala sobre os times que prefere ver jogar, critica o Real Madrid e mais

O polêmico treinador Jorge Sampaoli, está sem clube desde a conturbada saída do Flamengo e também não tem pressa de retornar à beira do campo.

Enquanto isso, ele assiste os jogos e reforça a ideia de futebol que não abre mão, sendo um crítico ferrenho ao futebol apenas de resultado.

Em entrevista ao jornal Marca, da Espanha, Sampaoli, entre outros assuntos, falou sobre a decepção que sentiu com a derrota do Manchester City para o Real Madrid pela Champions League, abordou os times da atualidade que mais gosta de assistir e deu sua opinião sobre a comparação do Bielsismo com o Guardiolismo. Confira.

Sampaoli fala sobre quais equipes lhe chamam a atenção

“Manchester City. Quando o Manchester City perdeu para o Real Madrid foi difícil para mim digerir. O Madrid faz os outros descerem ao seu nível, se forem equipes superiores a ele. Esse jogo sofri muito, porque estava com Pep e Juanma Lillo. Guardiola tem mais dificuldades nas eliminatórias, mas ainda é o número um do mundo, mesmo tendo os melhores jogadores. Mas, gosto de outros técnicos como Míchel, Mikel Arteta, Xabi Aonso, De Zerbi, Xavi Hernández… Eles conseguiram aproveitar as coisas do Pep, mas com marca própria.”, disse Sampaoli.

“Não assisto muito futebol porque não há muito futebol, mas assisto muitos jogos. Nunca houve tantos jogos na vida, mas devemos diferenciar os termos. Vejo muito o City, o Girona do Míchel, o Arsenal do Arteta, o Bayer do Xabi Alonso… Times que têm mais liberdade para jogar coletivamente. Os demais, acima de tudo, simplesmente competem. Hoje em dia existe uma competição como nunca antes, mas isso não significa que o futebol que se produz seja atrativo.”, continuou.

Comparação entre o Bielsismo e o Guardiolismo

“Basicamente, o Bielsismo é um conceito de ataque mais direto. Ele quer chegar mais rápido à zona final do campo. No Guardiolismo, com o chamado jogo posicional, os jogadores têm uma certa liberdade. É mais associativo. Há mais convivência no centro do campo. O Bielsismo é mais direto e joga um contra um na defesa. Guardiolismo é mais zonal na defesa.”, concluiu.