Leila Pereira Palmeiras
Futebol Brasileirão

Leila Pereira pretende banir Belmonte no Allianz Parque

Nesta terça-feira (5), a presidente Leila Pereira se pronunciou pela primeira vez sobre os incidentes ocorridos no Morumbis no último domingo. O término do clássico entre São Paulo e Palmeiras com placar de 1 a 1, válido pela penúltima rodada da fase de grupos do Paulistão, ficou marcado por diversas confusões no extracampo.

Em entrevista ao site “GE”, a presidente alvviverde citou que ficou revoltada com a postura do diretor de futebol Carlos Belmonte, flagrado xingando o técnico Abel Ferreira de “português de m…”. Além disso, Leila Pereira  deixou claro que tentará proibir a entrada do diretor do São Paulo em partidas do Palmeiras como mandante.

Aspas de Leila Pereira, presidente do Palmeiras

“Vi o vídeo horrível do senhor Carlos Belmonte xingando o nosso treinador e acho que tudo na vida a gente tem que refletir primeiro antes de falar. Por isso que estou aqui hoje, com a cabeça fria, dizendo que espero que as autoridades tenham uma atitude exemplar, punindo o Belmonte para que isso não aconteça novamente. Vou conversar com meus advogados que eu gostaria até que ele não fosse mais no Allianz. É uma persona non grata nos nossos ambientes.”

“Temos que coibir essa violência insana, e nós como dirigentes temos que ser os primeiros a levantar essa bandeira. Aquilo é inadmissível e eu só acredito que conseguimos coibir esse tipo de violência com punição, e tem que começar pelos dirigentes. Eles querem jogar para a torcida deles, para ficar bonito com o torcedor, só que o São Paulo não joga sozinho. Acaba incitando uma violência com os outros clubes, que o torcedor comum não tem culpa. Estamos muito revoltados e não vou admitir que alguém agrida fisicamente ou verbalmente qualquer um dos nossos profissionais.”

Fim da parceria entre os clubes, segundo Leila Pereira

Em outro trecho da entrevista, Leila Pereira lamentou a postura do São Paulo no último clássico depois que os clubes estavam buscando maior aproximação desde o ano passado. No entanto, a contratação de Caio Paulista estremeceu as relações entre os dois.

“A rivalidade é só dentro de campo, ou deveria ser. Com todos os outros clubes a rivalidade é dentro de campo e não pode deixar que isso transborde para fora porque é perigoso. Fora de campo tem que existir o respeito. Da minha parte, a rivalidade continua dentro de campo. Eu tenho profundo respeito por todo torcedor, todos os jogos que vou no Morumbis, torcedores do São Paulo me param pra tirar foto. Futebol é entretenimento, uma atividade familiar. Tem que começar por nós coibir esse tipo criminoso de rivalidade. Como se coíbe? Respeitando o seu adversário, não dando esse ataque histérico que o São Paulo deu.

Imagem: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *