Andy Murray
Tenis Notícias Outros Torneios

Murray fala sobre nova lesão nas costas: ‘tem sido difícil’

Com grande preocupação quanto às suas condições físicas, Andy Murray enfrentou uma dura realidade na quarta-feira durante a segunda rodada do ATP 500 de Queen’s, em Londres. O britânico, pentacampeão do torneio, permaneceu em quadra por apenas 23 minutos, disputando cinco games contra o australiano Jordan Thompson, antes de abandonar a partida devido a fortes dores nas costas. Murray, que já lidou com lesões nessa região ao longo de sua carreira, relatou que nunca havia sentido dores semelhantes.

“Tenho sofrido com as costas há algum tempo e também perdi a força na perna direita. Então, foi uma perda de controle motor, não tinha coordenação. Enfim, não conseguia me mover”, declarou Murray após a partida.

O veterano de 37 anos expressou sua frustração e incerteza sobre a natureza do problema, afirmando que as dores são diferentes de tudo que já experimentou antes. Murray vinha de uma vitória em três sets na última terça-feira, quando derrotou o australiano Alexei Popyrin por 6/3, 3/6 e 6/3, em um jogo que marcou sua milésima partida no circuito da ATP. A partida durou 1h50 e o britânico revelou que saiu de quadra sentindo muitas dores, sem conseguir se recuperar a tempo para o confronto seguinte.

“Estava bastante dolorido na minha partida de ontem, mas fui capaz de administrar isso. E também estava dolorido hoje. Não me sentia confortável jogando. Durante o aquecimento pré-jogo fiquei bastante desconfortável. E quando subi as escadas, pouco antes de entrar em quadra, não estava com a força de sempre na perna direita. Não era um sentimento habitual”, explicou.

Murray detalhou ainda que, logo no aquecimento, percebeu que sua perna direita estava descoordenada, o que prejudicou sua performance e contribuiu para sua decisão de abandonar o jogo:

“Nas duas primeiras bolas que acertei no aquecimento, minha perna direita estava muito descoordenada. Eu não tinha coordenação. A perna simplesmente não estava funcionando corretamente”, relatou o ex-número 1 do mundo, que agora tenta se recuperar a tempo para Wimbledon, que começa em menos de duas semanas.

As lesões de Murray

A temporada de 2024 tem sido especialmente difícil para Murray em termos de lesões. Ele machucou o tornozelo em Miami e ficou dois meses afastado das competições. No entanto, esses problemas vêm afetando o britânico há anos, culminando com uma quase aposentadoria em 2019 por conta de problemas no quadril. Murray admitiu que essa lesão tem sido mais difícil do que as outras.

“Embora os últimos anos possam ter parecido bons, tem sido muito difícil para o corpo. Foram muitos dias em que os treinos não eram nada divertidos. Obviamente, tentei superar isso e encontrar maneiras de entrar em quadra e competir nesse nível. Mas o tênis é um esporte muito, muito difícil”, concluiu Murray.