Dorival aponta erros da seleção em empate contra a Colômbia - Foto: Getty Images
Futebol Copa América Seleção Brasileira

Seleção: Dorival pontua erros diante da Colômbia

O empate por 1 a 1 com a Colômbia, pela terceira rodada da Copa América, evidenciou alguns problemas na seleção brasileira, segundo palavras do técnico Dorival Júnior. O comandante canarinho pontuou falhas importantes na saída de bola do Brasil, fator que impossibilitou uma melhor apresentação e que permitiu ao adversário maior domínio no setor de meio-campo.

“De um modo geral não vinha sendo. Hoje realmente tivemos dificuldades na saída de bola, condicionada ao adversário, que fez retomadas perigosas à frente da nossa área. Não vinha sendo um fato que nos preocupava, até pelas opções”, falou Dorival durante a coletiva pós-jogo.

No entanto, o treinador reforçou que tal situação é normal em um início de trabalho, considerando que está há menos de seis meses e realizou apenas o sétimo jogo à frente da Seleção.

“Essas oscilações vão acontecer, é uma equipe em formação, não podemos esquecer. Tivemos dificuldades nesta partida que não vínhamos tendo, o nível da Colômbia é diferente, vem de 25 partidas invictas, e teve peso grande. (…) É um processo, ninguém queima etapas, não sai da figura A para a F sem passar pela B. Vai ter partidas como a da Costa Rica, bons momentos como contra Paraguai, não tão bons contra Colômbia. Espero que a equipe continue crescendo nestes comportamentos fundamentais, assim como oscilaremos em outros mais, só se tira com treinos e jogos”, disse o técnico.

Com o empate, o Brasil conseguiu avançar em segundo lugar no Grupo D, com cinco pontos, atrás dos Cafeteros, que fecharam na liderança da chave com sete.

Dorival em coletiva após empate da Seleção com a Colômbia - Foto: Reprodução
Dorival em coletiva após empate da Seleção com a Colômbia – Foto: Reprodução

Pedreira pela frente

Tal desempenho pôs no caminho um adversário mais complicado: o Uruguai, que terminou na liderança do Grupo C com nove pontos. Além disso, os uruguaios, treinados pelo argentino Marcelo “El Loco” Bielsa, possuem a melhor campanha da fase de grupos e detém o melhor ataque da competição, com nove gols marcados e apenas um sofrido.

Seleção terá pela frente o Uruguai, dono da melhor campanha da fase de grupos - Foto: Getty Images
Seleção terá pela frente o Uruguai, dono da melhor campanha da fase de grupos – Foto: Getty Images

Seleção sem Vini Jr.

Não bastasse ter um clássico contra o Uruguai já nas quartas de final, a Seleção não terá seu melhor jogador na partida, visto que Vinícius Júnior cumprirá suspensão automática por receber o segundo cartão amarelo logo aos seis minutos do empate com a Colômbia. Dorival comentou sobre a ausência de seu camisa 7 e cutucou a arbitragem por contribuir para a ausência de Vini.

“Era um jogo muito importante, não tinha como segurar ninguém. Queríamos o resultado, iniciamos muito bem a partida, e no primeiro lance, que para mim foi casual, teve o cartão do Vini. Muito estranho o que se passou. Até pouco tempo ouvia dizer que Brasil tinha de aprender jogar sem os protagonistas, é o momento. Vini fica fora, estamos sem Neymar por algum tempo, em algum momento não os teremos em uma partida, outros terão de aparecer. Será um jogo difícil contra o Uruguai, como eles sabem que terão um jogo difícil contra o Brasil”, finalizou Dorival.

Seleção não terá o suspenso Vini Jr. contra o Uruguai - Foto: Ezra Shaw/Getty Images
Seleção não terá o suspenso Vini Jr. contra

Marque na agenda

O clássico contra a Celeste Olímpica está marcado para este sábado (6), às 22h (de Brasília), no Allegiant Stadium, em Las Vegas. O vencedor de Uruguai e Brasil enfrenta nas semifinais quem passar do duelo entre Colômbia e Panamá, quem também ocorrerá no sábado, mas às 19h (de Brasília).