Eduardo Vargas
Futebol Brasileirão Copa América

Eduardo Vargas, do Atlético Mineiro, não descarta retorno à Universidad do Chile

O atacante Eduardo Vargas não tem sido a principal das escolhas do técnico Gabriel Milito, quando a dúvida é o ataque. O argentino não procura opções diferentes de Hulk e Paulinho, deixando o chileno sem espaço no time titular, visando a possibilidade de viver um novo destino. De serviço na seleção do Chile, o atleta não descartou um retorno à Universidad do Chile.

A passagem de Vargas na equipe foi curta, mas marcante. De 2010 até 2011, bater de frente com aquele time que contava com Castro, Jony Herrera e entre outros, era uma das atividades mais difíceis que as equipes brasileiras tinham pela frente. O Flamengo sentiu o poder da LAU, quando sofreu um solene 4 a 0 nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Num evento da “Lá Roja” com um dos patrocinadores, uma importante pergunta foi feita para Eduardo Vargas sobre seu futuro, caso a Universidad do Chile seria uma opção. Sem perder a oportunidade, o atacante não descartou um mundo onde um retorno para o seu país natal existisse:
“Estou pensando em voltar ou não, porque meus filhos também influenciam estar no Brasil e minha namorada é brasileira, então tenho que pensar bem. Hoje em dia minha namorada está conhecendo o Chile e me disse que gostaria de morar aqui com o pouco que conheceu”, disse Vargas.

“Vamos ver o futuro, vamos pensar se poderemos voltar logo ao U”, completou o atacante do Atlético Mineiro.

O contrato de Vargas com o Galo tem fim em dezembro deste ano. A partir de julho, já será o momento correto para ele buscar um novo destino por meio de um pré-contrato, saindo de graça em dezembro, ou até antes, caso o Atlético Mineiro aceite liberá-lo.

Eduardo Vargas em 2024

Depois de ter começado o ano fora dos planos do Atlético Mineiro, Eduardo Vargas apresentou bons resultados nos treinos e não faltou motivos para ser utilizado em alguns jogos pelo técnico Gabriel Milito. O chileno até chegou a ter um acerto com o Fortaleza, mas decidiu continuar em Minas Gerais, pelos seus salários recebidos no Galo serem superiores do que a futura realidade no Nordeste.

Nesse período, atuou em 11 partidas, marcou três gols e anotou uma assistência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *