Vasco
Brasileirão Futebol

Vasco: Integrantes de torcida organizada cobram Pedrinho e exigem afastamento de jogadores

Membros de uma torcida organizada do Vasco da Gama foram até o hotel onde a equipe está concentrada, na Barra da Tijuca, na noite de sexta-feira (21). Eles manifestaram sua insatisfação com o rendimento abaixo do esperado do time e tiveram uma reunião de dezoito minutos com o presidente do clube, Pedrinho.

Os torcedores deixaram claro para Pedrinho que solicitam a saída de alguns jogadores, incluindo os defensores Léo e Maicon, o meio-campista Galdames e o atacante Clayton. O presidente do Vasco ouviu as críticas, mas também falou com os torcedores:

“Eu não posso expor as coisas que são feitas internamente. É por respeito a vocês, à minha função e aos atletas. O que eu tenho que fazer eu faço internamente. O que peço a vocês é que amanhã tem um jogo importante, a gente precisa ganhar. Sei que vocês vão fazer o papel de vocês, vocês enchem qualquer lugar. Vocês já tiveram algumas atitudes ontem. Daqui a pouco faltam 24 horas para o jogo. As decisões vão ser tomadas internamente. (…) Não vou fazer isso, como vou afastar jogador?” – afirmou.

O diálogo, compartilhado pelos adeptos em suas redes sociais, aconteceu pouco antes da chegada da equipe ao hotel, onde ficariam concentrados até o confronto contra o São Paulo, marcado para sábado (22), às 21h30, no estádio de São Januário.

Na quinta-feira (20), logo após a derrota para o Juventude, os adeptos já haviam se manifestado no desembarque da equipe no Rio de Janeiro. Além disso, membros da torcida organizada foram até a entrada do condomínio onde residem alguns jogadores do time. Houve um incidente envolvendo o atacante Rossi, que estava dentro de seu veículo, resultando em uma discussão. A Polícia Militar foi chamada e enviou viaturas ao local para acalmar a situação.

 

Pedrinho comenta sobre ação dos torcedores do Vasco

“Não achei legal ir à casa dos caras, não acho maneiro ameaçar filho. Mas vocês estão lá na arquibancada se f*. Entendo vocês ficarem putos. Esses atletas que estão chegando aqui agora (no hotel) vão entrar como amanhã? A gente não é Vasco? Não quer ganhar o jogo? Reflete o que vocês querem fazer” – afirmou.

Pouco depois, os jogadores chegaram ao hotel em um ônibus sem identificação e foram recebidos com hostilidade pelos adeptos. Houve a explosão de fogos de artifício e alguns objetos foram lançados em direção ao veículo. Léo foi o principal alvo, sendo duramente criticado e exigida sua saída do clube. No entanto, os torcedores não conseguiram se aproximar dos atletas, pois um forte esquema de segurança foi montado com a presença de policiais militares e seguranças privados, formando um perímetro de proteção.

 

Situação desesperadora para o Vasco da Gama

O Vasco acumula quatro jogos sem vitória no Campeonato Brasileiro, contando a maior goleada sofrida para o rival Flamengo. No momento, o clube tem sete pontos, e ocupa o 17º lugar na tabela.

(Foto: Reprodução/Instagram)