Abel Ferreira
Futebol Copa do Brasil

Abel Ferreira se esquiva e não explica processo sofrido por time do Catar: “Estou onde quero”

Após o empate em 0 a 0 contra o Botafogo-SP, que garantiu a classificação para as oitavas da Copa do Brasil, o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, aproveitou a coletiva para se explicar nas entrelinhas, a situação envolvendo o seu nome e o Al-Sadd, onde foi acusado de não cumprir um pré-contrato assinado com o mesmo, para assumir o clube em 2024:

“Vou fazer uma breve explicação sobre o assunto, esperei até o dia de hoje, porque gosto de falar com vocês olhos nos olhos. Gostaria de dizer o seguinte: minha carreira de treinador é um livro aberto, começou em 2012. Um livro com capítulos de glória, alguns de tristeza e frustração e tem seguramente duas ou três páginas que eu rasgaria, mas infelizmente acho que um livro é genuíno quando todos os ingredientes estão lá dentro” – afirmou o técnico.

“Gostaria de acrescentar mais ainda, inclusive ano passado, em outubro, novembro e dezembro, que sou dono da minha alma e capitão do meu destino. E quis o capitão do meu destino que eu chegasse no Palmeiras em 2020. E de 2020 até o dia de hoje, eu quero dizer bem alto, para aqueles que não ouviram e se verem as últimas conferências do ano passado, não vou alterar uma vírgula do que disse há seis, sete meses”.

“Sou treinador do Palmeiras e estou treinador do Palmeiras. É bom, um orgulho, e o capitão do meu destino me trouxe ao chiqueiro e ao Palmeiras. Ganhamos, já ganhamos neste ano, e se Deus quiser vamos continuar ganhando com o trabalho de todos no CT. Estou onde quero estar e onde querem que eu esteja” – acrescentou.

O Al-Sadd alegou que as negociações iniciaram em outubro de 2023, e em 15 de novembro, um acordo havia sido firmado entre as partes, com Abel se comprometendo a deixar o Palmeiras para assumir o clube em 27 de dezembro. Na época, o jornal espanhol “Sport”, chegou a publicar que o treinador estaria em negociações avançadas para comandar a equipe catari, tornando-se o técnico mais bem pago do mundo.

“Gostaria de dizer muito mais do que estou falando, muita coisa foi dita, não só hoje, mas nos últimos três ou quatro meses do ano passado. Sempre disse que sou treinador do Palmeiras, estou aqui com muito orgulho. Não vou falar mais sobre este assunto, há seis ou sete meses foram três ou quatro meses batendo na mesma tecla e hoje continuo aqui e se tudo correr normalmente até 2025, que é o contrato que eu tenho.

Esta é a única verdade, sobre este assunto não falo mais. Sou com muito orgulho – e falo aos meus torcedores, muito obrigado de coração, já disse que sou mais coração do que cabeça – obrigado pelo apoio. Vou falar em português bem claro, não falo mais sobre isso” – disse.

Ao ser questionado se ele assinou algum documento, Abel Ferreira retruca:

“Vamos ver, não falo mais sobre o assunto. Só há uma verdade, vocês têm que escolher o que querem dizer. Só há uma verdade e uma certeza. Só isso”.

 

CRISE PODE TER INFLUENCIADO ABEL FERREIRA A ASSINAR

No mesmo outubro de 2023, a relação de Abel Ferreira com o Palmeiras, não era das melhores. Quatro partidas sem vencer colocaram em xeque a sua permanência durante a reta final da temporada. Em janeiro de 2024, porém, o Palmeiras anunciou a renovação de contrato até dezembro de 2025 – por mais um ano, portanto.

Pessoas ligadas à diretoria do Palmeiras disseram que o clube não tinha conhecimento de nenhuma negociação em curso. O estafe do treinador, por fim, respondeu em nota na época que Abel estaria apenas focado na reta final do Campeonato Brasileiro.

(Foto: AGIF)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *