Manchester City Girona Grupo City
Futebol UEFA Champions League

Grupo City pode ter que vender ações do Girona para que time participe da Champions

O Grupo CIty enfrenta um desafio para garantir que Manchester City e Girona possam competir na UEFA Champions League da temporada 2024/25. A UEFA apresentou duas opções para resolver a questão de propriedade múltipla, conforme um documento da entidade citado pelo jornal britânico “The Times” e pela agência de notícias “AP”.

Atualmente, o CFG possui 100% das ações do Manchester City e 47% do Girona. Segundo o documento, a UEFA sugere que o grupo venda parte das ações do clube espanhol até que a participação seja reduzida para, no máximo, 30%. A outra alternativa apresentada é transferir todas as ações do Girona para um fundo cego, supervisionado por um painel nomeado pela UEFA.

O Artigo 5 do regulamento da UEFA Champions League, que trata da integridade da competição e propriedade de múltiplos clubes, proíbe qualquer indivíduo, entidade legal ou clube de possuir ações, estar envolvido ou ter controle ou influência em mais de um clube participante das competições da UEFA.

Manchester City e Girona garantiram vaga na próxima edição da Liga dos Campeões com base em seus desempenhos nas respectivas ligas nacionais. O time inglês lidera a Premier League com uma rodada restante, enquanto a equipe espanhola ocupa a terceira posição na La Liga, com dois jogos por disputar.

Para se adequar às regras da UEFA, a estratégia principal considerada pelos envolvidos tem sido a alteração dos membros dos conselhos de administração das empresas controladoras dos clubes. Dessa forma, embora pertençam ao mesmo proprietário, os clubes teriam decisões tomadas por equipes diferentes, eliminando a conexão direta entre as duas equipes do grupo.

O Grupo City e as regras da UEFA

Exemplos recentes mostram como a UEFA permite que clubes com os mesmos proprietários participem de suas competições. O Órgão de Controle Financeiro de Clubes da UEFA(CFCB) autorizou Milan (Itália) e Toulouse (França) – ambos pertencentes à RedBird Capital – a jogarem a Champions League e a Europa, respectivamente.

Da mesma forma, Brighton (Inglaterra) e Union St. Gilloise (Bélgica), pertencentes a Tony Bloom, competiram na UEL. O mesmo ocorreu com Aston Villa (Inglaterra) e Vitória de Guimarães (Portugal), pertencentes à V Sports, na Conference League.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *