Presidente da Federação Pernambucana
Futebol Brasileirão

Presidente da Federação Pernambucana vai à CBF para defender torcida única em jogos de todo o Brasil 

O presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Carvalho, decidiu comparecer pessoalmente à sede da CBF para defender a ideia de torcida única durante um ano no futebol brasileiro após os atentados de violência cometidos por uma organizada do Sport contra a delegação do Fortaleza depois do duelo realizado na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. O cartola afirmou que faria a viagem para o Rio de Janeiro esta tarde para sugerir algo implantado pelo mesmo no começo desse ano para clássicos pernambucanos pelo campeonato estadual.

Carvalho afirmou que a proposta nada mais é que uma forma “pedagógica” de coibir que os estádios recebam uma minoria de marginais e imponham uma maioria de torcedores do bem. E que lutaria na CBF de forma insistente para implantar o modelo em todo o Brasil durante um ano, considerando a decisão como corajosa caso aceita pela instituição máxima do futebol nacional.

Decisão polêmica não é defendida pela primeira vez por presidente do futebol pernambucano:

A medida considerada polêmica pelo fato de restringir o acesso da torcida visitante aos estádios, defendida pelo presidente da Federação Pernambucana e implantada em janeiro para clássicos no campeonato estadual, foi implantada após casos de violência na cidade do Recife e na Região Metropolitana envolvendo torcedores do Sport e do Santa Cruz no dia do jogo entre as equipes na temporada passada do Pernambucano. E terminou derrubada três dias antes do início do torneio, a pedido do próprio Sport, em ação conjunta aos seus rivais, Náutico e Santa Cruz.

O presidente da FPF trouxe a sugestão à tona novamente após torcedores do Sport atacarem atletas, integrantes da comissão técnica e a diretoria do Fortaleza com bombas e pedras no ônibus, que além de danos ao veículo tricolor, geraram ferimentos a jogadores da equipe cearense, que em gesto de solidariedade aos feridos, se recusam voltar a jogar até que hajam punições aos envolvidos no ataque. Em nota, a CBF afirmou lamentar mais “um episódio de violência ligado a uma partida de futebol e que confia no trabalho da polícia e das autoridades competentes para que haja punição exemplar aos envolvidos no ocorrido, e que levará o caso ao STJD para que hajam medidas cabíveis e punitivas.”

No tumulto após a saída da Arena Pernambuco provocado por organizadas do Sport, seis jogadores do Fortaleza sofreram ferimentos e foram levados a hospitais de Recife para receber atendimento, na sequência foram liberados e retornaram junto da delegação para a capital cearense entre a noite de ontem e a madrugada de hoje. O duelo válido pela Copa do Nordeste contra o Sport terminou empatado em 1 a 1.

Foto: Divulgação / FPF-PE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *