Botafogo John Textor acusa São Paulo de manipulação
Futebol Brasileirão

STJD nega recurso e ironiza Botafogo por Brasileirão 2023

O STJD confirmou nesta sexta-feira (23) que arquivou o recurso apresentado pelo Botafogo e manteve o arquivamento do pedido de inquérito que pedia anulação do Brasileirão por suposta manipulação de resultados da arbitragem. No entanto, chamou atenção o texto do auditor Mauro Marcelo de Lima.

Em sua decisão, o auditor do STJD ironiza o desempenho do Botafogo no Brasileirão 2024 e critica a atitude de John Textor pelo fato de ter entrado com um pedido buscando alterar o resultado do campeonato. Além disso, Mauro Marcelo acredita que o alvinegro deveria se concentrar mais em resolver os seus problemas.

Cabe relembrar que John Textor contratou no final do ano passado a empresa francesa “Good Game!” para preparar um relatório apontando supostos erros de arbitragem no Brasileirão 2024, campeonato em que o alvinegro liderou por mais de 30 rodadas e acabou terminando em quinto lugar.

Trechos da decisão do STJD sobre o recurso

“Essa movimentação jurídica do dono do Botafogo mais me parece o brocado de falso latinismo o famoso “Jus Esperniandi”, utilizando de artifícios, como alegações infundadas de manipulação de resultados, para tentar desviar a atenção do pífio desempenho de sua equipe na fase final do campeonato.”

“Ao invés de lidar com os desafios internos do seu time, como estratégias de jogo, treinamento dos jogadores e gestão da equipe, ele estaria tentando manipular o sistema para desviar a atenção dos reais problemas.”

Botafogo segue na busca por um novo técnico

Enquanto isso, o Botafogo segue na busca por um técnico substituo após demissão de Tiago Nunes. Segundo as informações do jornalista Wellington Arruda, do canal “Panorama Botafoguense”, é esperado que a equipe carioca vá em busca de um técnico mais experiente, contando com os nomes de Jorge Sampaoli e Carlos Carvalhal em sua mira.

As duas opções agradam internamente a diretoria do Glorioso, ambos estão livres no mercado após terem sido demitidos por seus antigos clubes. No caso de Sampaoli, o argentino já tem conhecimento sobre o futebol brasileiro, após ter comandado Santos, Atlético Mineiro e Flamengo. Já o português, foi demitido do Olympiakos, da Grécia e nunca defendeu uma equipe sul-americana.

Imagem: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *