Fluminense
Brasileirão Futebol

Brasileirão: Fluminense chega ao terceiro Fla-Flu consecutivo sem chutar ao gol

A crise continua no Fluminense. Além de ter perdido mais uma vez no Campeonato Brasileiro, com um placar de 1 a 0 para o Flamengo no último domingo (23), o que mantém a equipe na última posição da tabela, o tricolor enfrentou mais um clássico sem conseguir chutar ao gol adversário.

Na derrota por 1 a 0 para o Botafogo, o tricolor tentou seis finalizações e chegou a acertar a trave com uma cabeçada de Marquinhos, mas esse lance não é considerado um chute a gol. Contra o rubro-negro, o desempenho foi ainda pior. Em 90 minutos, o time de Diniz finalizou apenas duas vezes, ambas para fora.

A combinação de resultados e desempenhos ruins custaram o cargo de Fernando Diniz no comando do Fluminense nesta segunda-feira (24). Nos minutos finais do clássico, o treinador foi expulso por reclamação.

 

Sina em Fla-Flu

Quando se trata de Fla-Flu, a sina do Fluminense de não conseguir sequer finalizar ao gol adversário é ainda mais evidente. Esse foi o terceiro clássico consecutivo contra o Flamengo em que o tricolor não acertou o alvo.

No primeiro jogo da semifinal do Carioca, o Flamengo teve nove finalizações contra nenhuma do Flu; no segundo, foi um chute do Flamengo contra nenhum do Flu. Neste domingo, foram quatro finalizações do Flamengo contra nenhuma do tricolor.

 

Jogadores de cabeça quente

O Fluminense, mais uma vez, não conseguiu manter a calma após ficar em desvantagem. Primeiro, Lima recebeu dois cartões amarelos quase consecutivos, um por reclamação e outro por uma falta em Ayrton Lucas, resultando em sua expulsão. Logo depois, o técnico Fernando Diniz também foi expulso após receber dois cartões amarelos em rápida sucessão.

 

Agenda e colocação do Fluminense

O Fluminense continuou com apenas seis pontos, na última colocação da competição. Na próxima rodada, sob o comando do auxiliar permanente Marcão, o Fluminense volta a jogar na quinta-feira (27), quando recebe o Vitória, no Maracanã.

(Foto: Rodrigo Aranguá / AFP)